Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Querem lá Ver

Um ano sem comprar roupa transformou-me

Querem lá Ver

Um ano sem comprar roupa transformou-me

Um pequeno gesto, uma pequena poupança

por Cláudia Oliveira, em 09.02.17

 

Acabei de alterar o meu tarifário móvel. Pagava 27.90€, com condições melhores vou pagar 14.90€. Uma poupança mensal de 13€, 156€ anuais. Fiquei tão contente com estas pequenas mudanças. Grão grão, já diz o ditado. Terminei a fidelização no dia 3 de Fevereiro. Em Março vou notar uma diferença na factura e no valor poupado. 

Um ano sem comprar | o que mudou

por Cláudia Oliveira, em 19.01.17

 

Estive um ano sem comprar roupa e acessórios. O que mudou realmente?

 

- Acabou o meu lado consumista

Era extremamente consumista. Comprei muita roupa e sapatos. Todos os meses "precisava de alguma coisinha". Havia o dia de ir às compras e tudo. Calhava logo na primeira semana do mês. Entrava em várias lojas, experimentava muita coisa, vinha para casa cheia de sacos. Um ano sem compras, sem entrar em lojas, acabou FELIZMENTE com tudo. Eu não sinto mais necessidade de comprar. Não tenho a sensação que preciso de algo. Não sinto vontade de ir aos centros comerciais ou entrar em lojas. Um sossego para a carteira. 

 

- Deixei de sentir necessidade de preencher um vazio

Havia uma altura do mês que eu sentia necessidade de ir gastar dinheiro para compensar a falta de alguma coisa. Acabei por descobrir que não sentia falta de nada, só da "felicidade" temporária que as compras me proporcionavam. Enchia os armários com peças que mais tarde não me faziam assim tanta falta. Ou comprava sapatos que só usava uma ou duas vezes por mês. Trabalhar este lado foi mais fácil do que estava à espera. A sensação de vazio acabou, foi preenchido com coisas reais. Jantares em casa, passeios com amigos, idas ao cinema com mais frequência. São alguns dos exemplos. Poupar acabou por trazer um equilibro maior ao meu lado emocional.

 

- Acabaram as brigas com o multibanco

Eu sempre dificuldades em gerir a minha relação com o multibanco. É uma coisa com muitos anos que tenho vindo a melhorar. Era horrível para mim ir levantar dinheiro e ver os movimentos bancários. Sério. Ficava numa aflição. Sempre a contar dinheiro, a fazer cálculos de cabeça. Uma preocupação constante. Com a diminuição dos meus gastos consequentemente as brigas comigo mesma acabaram. O multibanco deixou de ter tanto foco na minha vida e isso tirou um grande peso dos meus ombros.

 

- Encontrei novas formas de ganhar mais dinheiro

Enquanto estava preocupada em gastar não percebi que podia ganhar. Depois de parar de gastar foquei-me em ganhar. No ano passado apostei na abertura de uma loja online e consegui ganhar dinheiro. Também arranjei outros empregos a part-time (ex: passar a ferro, limpezas, cozinhar). Foi como uma espécie de bola de neve. 

 

- Afinal tenho muita roupa para vestir

Num ano muitas peças não foram usadas. Nunca tive a tão comum sensação "não tenho nada para vestir". Dei uso e mais valor à minha roupa. Ganhei um afecto maior com as minhas coisas. Não as considero tão descartáveis como antes. 

 

- Encontrei o meu verdadeiro calcanhar de Aquiles

O problema seria a roupa e os sapatos? A verdade é que o dinheiro que eu não gastava no calçado e na roupa ia, na sua maioria, para os livros. Durante o ano passado percebi que isso teria de mudar muito. E sem desculpas. 

 

Foi um ano excelente de aprendizagem. Valeu muito a pena fazer o projecto "Um ano sem compras". E espero verdadeiramente continuar este ano. Desta vez vou incluir o consumo dos livros de forma mais coerente. 

Escolher uma palavra para 2017

por Cláudia Oliveira, em 18.01.17

Instasize_0118144451 (1).jpg

 

 

Em Dezembro pensei muito no que pretendia realizar em 2017. Gosto de fazer um balanço e predefinir os meus objectivos a curto/médio prazo. Sabia o que tinha feito em 2016 e estava focada em mudar certos pontos. Quero melhorar alguns pontos a nível pessoal e profissional. O desenvolvimento pessoal é muito importante para mim. Existem pontos que ainda estou a trabalhar. Vejo-me como uma torre em constante construção. Ao longo da vida tenho desconstruindo verdades absolutas e isso faz-me crescer. Não tenho duas palas e procuro sempre questionar-me e encontrar respostas. 

 

Um exemplo: Desde pequena que oiço falar nas vantagens do leite para um crescimento saudável. Com conhecimento através da minha experiência pessoal, documentários e livros descobri que o leite não me fazia bem. Pelo contrário. Referi o leite, mas podia ser outra coisa qualquer. É apenas um exemplo para conseguir explicar-vos melhor a minha forma de ver a vida. Saio da zona de conforto e procuro respostas. 

 

No final de 2016 estava confusa em relação ao queria para 2017. Tive de afastar-me do "barulho" para encontrar as minhas respostas sem influência de ninguém. Sem criticas ou sugestões. É importante olhar para dentro de mim e saber o que quero realmente. Tinha começado a dizer "não" a algumas situações e a cortar com outras. Mas é sempre nos últimos dias que percebo através de um balanço mental o que quero ou não quero. Desta forma nasceu o grupo Poupança ( que muito tem servido de ferramenta para partilha e inspiração), os meus objectivos e a vontade de os partilhar com todos. Este blog existe desde novembro de 2015. O bichinho da partilha estava cá. 

 

Sempre fui organizada, mas pouco poupada. Podia poupar imenso em muitas coisas, mas acabava por gastar imenso em outras. Em livros principalmente. E foi assim que começou esta saga que tem apenas 18 dias. Não mudei a minha vida de um dia para o outro. Foi uma mudança gradual. O mental primeiro. As ideias amadureceram ao longo de um ano. E tive a sorte de encontrar pessoas com as quais me identifiquei ao longo da caminhada que me ajudaram com o empurrão final. 

 

Resumindo, queria encontrar a palavra certa para definir o meu ano. No meu primeiro vídeo do ano escolhi "Poupança" e foi muito bem recebida. Parece que mais pessoas estão no mesmo barco que eu. Parece que mais pessoas querem alterar algumas coisas. Acabei por falar em algo que mais pessoas também queriam partilhar. No grupo muitas pessoas agradeceram a existência do mesmo. Eu tinha um objectivo, agora tenho um plano. Essa foi a grande mudança. 

 

Tive um longo caminho até chegar aqui. O maior processo de transformação deu-se o ano passado. Quero qualidade de vida. E estou a fazer por isso. 

 

Qual a tua palavra para 2017? Já pensaste sobre isso?

Internet, extras e telemóvel

por Cláudia Oliveira, em 13.01.17

96ed90d92038679ea67c3019061c37b6.jpg

 

Internet e extras

Estou muito satisfeita comigo mesma. Decidi cancelar a minha internet banda larga. Tinha um gasto de 14,50€ mensal e procurar outro serviço. Como não tinha nenhuma fidelização bastou ligar para o apoio ao cliente. Mas eis que eles me oferecem um serviço superior por apenas 8,75€. Fiquei mega satisfeita. Estava quase a adicionar um extra para utilizar as redes sociais. Outra coisa, cancelei o serviço da Netflix. Estava a pagar 9.99€ na factura do meu serviço televisão+internet. Conclusão, vou poupar no próximo mês cerca de 15.75€. E como estou a terminar outro crédito no valor de 25€ no final deste mês e não vou meter-me noutro no mesmo valor quer dizer que tenho 40.75€ de poupança todos os meses. Não é incrivel? E para onde vai esse dinheiro? Poupança! Faz de conta que continuo a pagar. 

 

Vale a pena rever os contratos com as empresas de internet e redes móveis. 

 

Telemóvel

Ontem tive a notícia de que o meu Iphone não tem arranjo. Na loja dão-me um novo por mais 500€ euros. Mas meti-me a pensar? Preciso mesmo de um Iphone novo? Ou é apenas um capricho? Pensei muito. Eu adoro a marca, mas será que não posso esperar mais um pouco e concentrar-me nas minhas poupanças (viagens, cursos, saúde)? A balança pendeu obviamente para as poupanças. Desta forma acedi a um site de venda de telemóveis com bom feedback e qualidade de imagem de marcas menos conhecidas e fiz a minha encomenda. Foquei-me em duas coisas, capacidade de memória e ecrã grande. Paguei muito pouco e poupei muitos euros. Estou contente pela minha capacidade de não ceder e continuar focada. 

 

É importante abrir mão de alegres luxos para atingir objectivos. 

 

 

Pequenos detalhes

por Cláudia Oliveira, em 04.01.17

 

 

0f5f4bb92c2544b0e938ba8688d658ab.jpg

 

Os pequenos detalhes motivam-me. Fico focada nos meus objectivos e isso é o mais importante. 

 

- Uma revista cheia de receitas boas e baratas é a revista do Continente. Ontem olhei com olhos de ver e descobri várias receitas que pretendo experimentar para a minha marmita. Como tinha de ir ao supermercado tirei fotos aos ingredientes e comprei o que me faltava. Decidi experimentar três receitas novas em este mês. Tem diversos bolos maravilhosos, mas como estou a fazer o desafio 'sem açúcar por uma semana' decidi deixar para outra altura. 

- Fui ao ginásio e paguei a mensalidade. 37€ com aulas incluídas. Portanto, preciso de dar uso ao investimento. Tenho um calendário onde assinalo com uma cruz sempre que vou ao ginásio, para ter uma ideia de quantas vezes faço exercício por mês. Espero chegar ao final de Janeiro com muitas cruzes. 

-Tenho outro mini calendário onde assinado com uma cruz os dias que fico sem consumir açúcar. Não sei as razões, mas motiva-me. Não tenho doces em casa e não me aproximo da fila dos doces. 

-Estou a preparar-me para ficar a próxima semana sem gastar um cêntimo. Estava a pensar fazer esta semana o desafio 'sem um cêntimo' mas como tinha de pagar o ginásio não deu. Próxima semana não falha.

- Estou a pensar ficar um dia inteiro por semana sem ir à internet de forma a verificar a minha produtividade e desintoxicar-me. Talvez no fim de semana... ainda não sei. Não será um dia fixo, será aleatório. 

- Continuo a inspirar-me em todas as pessoas que contribuem para o meu dia a dia minimalista, produtivo e feliz. Não quero estar perto de pessoas negativas, resmungonas e cheias de palavras rudes. Isso torna os meus dias cinzentos. Apesar de adorar o cinzento, prefiro dias com luz. 

Organização e poupança

por Cláudia Oliveira, em 01.01.17

 

 

 

Organizar é poupar. Tudo o que esteja relacionado com organização está imediatamente relacionado com gestão de tempo, logo poupança. Faz sentido, juro que faz. 

 

Hoje defini algumas tarefas para cumprir ao longo do dia. Sabia o que queria ver, ler, comer e arrumar. Consegui chegar ao final do dia com todas as tarefas cumpridas. A sensação de dever cumprido é das melhores, especialmente depois de um banho tomado. 

 

- Já defini o valor a colocar nas primeiras duas semanas do 52 semanas: 25€

- Passei pouco tempo na internet e deu para fazer um montão de coisas. 

- Defini os livros que pretendo ler no próximo mês, pretendo fazer a experiência para saber se resulta e se a vontade de comprar livros se desvanece. Estão todos anotados na minha agenda. 

- Já elaborei o meu calendário para 2017 e não gastei um cêntimo. No Pinterest existem ideias fantásticas, optei por uma versão bastante minimalista. 

- Abri as pastas de álbuns para os filmes e livros de 2017. Desta vez quero tirar fotos e guardar todas numa pasta. Tenho este hábito há três anos. E dá muito jeito na hora de fazer listas para o blog de livros. Vou continuar a anotar todos os livros lidos. Vou começar a anotar as páginas lidas diariamente. A título de curiosidade, só e apenas. 

- Seleccionei definitivamente os blogs e canais no youtube que pretendo seguir. Não vale a pena perder tempo com blogs/canais que não me deixam feliz.

 

Gosto de planear os meus dias todas as noites. Escrevo na agenda as tarefas. O que não conseguir fazer passo para o dia seguinte. A organização é muito importante, sobretudo que queres fazer uma boa gestão do teu dia e ter tempo para tudo. 

Desafio concluído com sucesso

por Cláudia Oliveira, em 10.12.16

Encerrei este blog, mas está na hora de o trazer de volta. Na verdade ficou parado porque queria dedicar-me exclusivamente a outros projectos. Mas consegui estar um ano sem fazer compras. Nem uma única peça de roupa, calçado ou malas. Estou muito orgulhosa de mim. Ao longo deste ano consegui aprender muito. E é isso que pretendo trazer para o blog, a minha aprendizagem. As minhas dicas, os meus desabafos, as mudanças que trouxeram à minha vida esta forma de levar a vida. Quero que 2017 seja um ano diferente. Quero mudar mais um bocadinho. Afinal abri uma empresa de eventos, voltei ao ginásio, tenho mais um emprego em part-time e quero recuperar coisas que deixei perdidas algures durante 2016. Não consegui fazer a poupança, vou focar-me nisso este ano. Abandonei a minha reeducação alimentar. Alguns hábitos viraram regras de vida, outros escaparam entre tantas tarefas. Não pode ser. Preciso recuperar o meu amor pela escrita, preciso de escrever como preciso de ler. Preciso de amizades verdadeiras e eliminar as amizades tóxicas. Preciso de tornar-me numa pessoa mais calma e menos furacão. Preciso de começar a fazer yoga e ter momentos de reflexão. Ou seja, não fazer nada por uns minutos. Preciso de mais cultura, e preciso urgentemente de viajar. Raios, se não é em 2017 que saio de Portugal por uns dias. Olá a quem ficou por aí e a quem chegou. 2017 será um grande ano, vamos?

68/365, 69/365, 70/365,...85/365 Uma coisa de cada vez

por Cláudia Oliveira, em 15.02.16

Oitenta e cinco dias sem comprar uma única peça de roupa. A viver de forma muito poupança. Foram os piores meses a nível monetário (já estou a incluir o mês inteiro de Fevereiro). Mas não foram só coisas negativas, também tive coisas boas. Para além de ter aprendido alguma coisa nestes dias complicados. 

 

Vamos a um resumo?

 

Livros

Hoje estive quase para gastar dinheiro em livros, mas resisti. Olhei com olhos de ver para a minha estante e recuei. A minha filha está quase a nascer e não sei o dia de amanhã. Não vou ter tempo para ler os livros novos que tenho aqui, então para quê comprar mais, não é verdade? Este mês consegui vender alguns livros e ganhei uns trocos. Fiz tão bons negócios que acabei por comprar seis livros e só gastar 25 euros. Dois seis livros novos, só ainda li um. Por isso, fiz muito bem em não comprar mais livros. 

 

Segurança Social

Hoje, depois de dois meses sem receber nenhum da baixa, recebi o pré-natal. O que recebi no mês anterior foi uma pequena parcela do pré-natal. Eu pensava que era baixa. Não! Se eu não tivesse o marido e um empréstimo de ultima hora estava completamente lixada por causa da segurança social. Infelizmente tive azar com as datas e com a médica que me passou a baixa por doença, em vez de risco. Os valores são muito diferentes. Pelos vistos, enganou-se e já não há forma de mudar. Hoje fui a outra consulta e pedi a baixa de risco. Tive direito, mas a Francisca está quase a nascer. Uma ou duas semanas no máximo. Será que este mês recebo a baixa? 

Fui à SS pedir explicações sobre os dias e valores que tenho direito, agora estou mais informada. Outra coisa, deram-me os papeis para pedir o abono da Francisca. Espero ter direito. Do Gustavo não tive. 

 

Gastos futuros

Tenho de ir ao IKEA urgentemente comprar uma cómoda ou guarda-roupa para o quarto dos miúdos. Preciso de uma cómoda grande e dois armários pequenos. Mas vou ter de optar pela primeira compra e deixar as restantes para depois. Vou precisar de comprar tudo o que preciso aos poucos. Como vou estar em casa nos próximos meses e não pretendo fazer gastos supérfluos, vou puder comprar uma coisa de cada vez. 

 

Poupança

 

Não mexi no dinheiro da poupança, apesar dos problemas. Fingi que ele não existe. E deu para fingir. Tem de ser assim. Daqui a duas semanas tenho de voltar a colocar dinheiro na conta poupança, mas ainda não decidi a quantia. Vou esperar para ver quanto dinheiro vou gastar no IKEA e se recebo da baixa. 

 

Presente

 

O meu filho faz dois anos no próximo sábado. Vou oferecer-lhe uma mota. Ele adorou a mota do meu sobrinho! Felizmente não é muito cara. Ele vai ficar muito feliz. Não vamos fazer nenhuma festa de arromba. Será algo muito simples, só para cantar os parabéns e reunir os amigos e família. O bolo será patrocinado pela minha mãe. Já não tenho forças para mais. Estou com quase 39 semanas, ok? Isto se não for para o hospital. 

 

Tenho de pensar em comprar roupa para o Gustavo de 2-3 anos. 

 

Farmácia

 

Amanhã preciso de ir comprar dois medicamentos. Vou gastar cerca de trinta euros. 

 

Leite

 

Como não dou leite de vaca ao Gustavo, ele leva para o infantário sempre o leite da lata no biberão. Também queria cortar com este leite, mas ando a estudar as opções. 

 

Dia dos Namorados

 

Zero gastos. 

 

Parto

 

No Hospital de Santa Maria dão tudo o que as mães e os bebés precisam no dia do parto. Não preciso de me preocupar com quase nada. Já tenho a mala feita, mas praticamente não levo nada (excepto a roupa). Segundo o que ouvi, nos outros hospitais as coisas não são bem assim. 

67/365 Como faço para comprar muitos livros e poupar dinheiro?

por Cláudia Oliveira, em 28.01.16

Este ano decidi só comprar os livros que pretendo ler brevemente em vez do velho hábito de acumular livros para formar uma biblioteca pessoal. Tem funcionado. Como estou de baixa, tenho mais horas livres para ler. As insónias são mais comuns nesta fase da gravidez. Se não tenho sono, vejo um filme ou leio um livro.

 

Segundo os meus apontamentos (agora anoto tudo), em Janeiro, comprei oito livros e fui presenteada com dois. Dos dez livros, li quatro. Mas vou ler os outros ainda este ano. O livro mais caro foi 16.51€ e o mais barato foi 5€. Comprei quatro livros por 5€ e dois livros por 9€. No total gastei 69.03€, dá em média 6.90€ por cada um. Nada mal. 

 

Vou dar-vos algumas dicas 

 

Compro vários livros em segunda mão como novos: pesquiso no google pelo titulo do livro juntamente com as palavras "vendo" ou "segunda mão". Normalmente o google manda-me para o site olx ou bibliofeira. Por exemplo, comprei um livro da Jane Austen por 5€. Esse livro costuma custar 16€ nos sites de vendas de livros. Foi uma rica compra, não é verdade?

 

Compro imenso em grupos do facebook: Livros para venda até 12€Venda de livros igual ou inferior a dez euros. Estes são os meus preferidos. Nunca tive problemas. Encontro lançamentos com preços muito bons. Devem existir mais, mas só sigo estes. Não convém ter vários grupos e ser tentada regularmente. 

 

Aproveito as promoções dos supermercados/lojas virtuais: Recebo emails com as promoções e faço uma visita diária aos meus sites preferidos. Nos sites só compro dois tipos de livros: lançamentos que quero ler muito mas não encontro nos grupos acima mencionados e livros em promoção que não costumam estar em promoção. Devido às visitas regulares que faço aos sites, conheço os livros que estão sempre em promoção. Se não comprar agora, compro depois. No supermercado existem boas promoções. Recentemente comprei livros do Paul Auster por cinco euros cada. Também nunca trago um livro só porque está barato. Tem de ser um autor que quero ler há muito tempo ou um livro super recomendado por alguém em quem confio. 

 

Estabeleço um valor mensal para os livros: É um dica preciosa. Ao estabelecer um valor mensal consigo jogar um bocadinho com o que compro agora ou compro depois. Faço melhor a selecção de livros para comprar durante o mês. 

 

Anoto os livros comprados e lidos: Desta forma sei o valor gasto em livros e se estou a ler os livros comprados. Gastar dinheiro para ficar empatado na estante não é uma boa forma de poupar. E o objectivo é poupar, não é verdade? Desde que comecei a anotar, a minha mente não deixa que eu compre livros antes de ler a maioria dos livros novos da estante. Para além disso, não me esqueço dos títulos novos.

 

Espero que estas dicas sejam úteis. 

62/365, 63/365... 66/365 Onde cortar no orçamento?

por Cláudia Oliveira, em 27.01.16

Não sei se já vos contei mas tenho um caderno onde anoto todas as despesas e ganhos mensalmente. No final do mês consigo ter uma noção para onde foi o meu dinheiro. As despesas "surpresa" e os gastos menos urgentes. Cheguei à conclusão que com a chegada de uma prestação devido ao pacote net+tv+telefone (24.90€) precisava de cortar noutra despesa. Não é fácil, mas é possível ao analisar em pormenor cada gasto.

 

No mês anterior (alguns gastos)

 

Jornal Público (sextas-feiras, 4 vezes por semana): 6.80€

Análises 70€

Farmácia 30€

Fotos do Gustavo reveladas 19€

Livros 60€

 

Se tudo correr bem não vou ter surpresas no valor das análises (pois já paguei a caução), nem em farmácia. Aliás, conto ter apenas mais uma consulta (20€) para além das consultas no Hospital público. Também passei a ir à biblioteca ler o Público em vez de o comprar. E claro, não pretendo gastar 60€ em livros novamente nem revelar mais fotos do Gustavo.  

 

A Francisca vai nascer, mas já comprei tudo o que preciso. Aliás, aproveitei as promoções do Continente e um vale de desconto em cartão de dez euros para comprar fraldas para os dois miúdos e toalhitas. Ainda pretendo regressar no fim de semana para comprar mais. Pretendo amamentar como fiz com o Gustavo. Para além de outros benefícios, poupei muitos euros em leite. 

 

Também passei a ir à biblioteca ler o Público em vez de o comprar. A Biblioteca é mesmo ao lado da minha casa! E claro, não pretendo gastar 60€ em livros novamente nem revelar mais fotos do Gustavo.  

 

Finalmente recebi uma carta da S.Social onde fui informada do escalão e do valor que irei receber do pré-natal. O valor já tem destino. O Gustavo também vai começar a receber abono (pela primeira vez!). A baixa só será paga lá para meados de Fevereiro. 

 

Coloquei seis semanas do desafio 52 semanas no mealheiro. Não estou à espera das próximas segundas-feiras, acho mais fácil assim. Calculo o valor que posso guardar, escolho as semanas e coloco o dinheiro de parte. Risquei as semanas no calendário do desafio. Neste momento, tenho dez semanas completas. Tenho de colocar dinheiro no final de Fevereiro novamente. E nessa altura recebo da baixa. 

 

19133436_QEppH.jpg

A sensação de dinheiro poupado é quase tão boa como a sensação de correr alguns quilómetros. Libertador, inspirador e motivador. Ter algum dinheiro extra dá-me uma sensação de conforto. Acabou-se aquela sensação que eu tinha sempre que ia ao multibanco. Ficava de mau humor ao ver o meu dinheiro desaparecer e o final do mês tão longe. 

Mais sobre mim

foto do autor

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D

Tags

mais tags