Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

queremlaver

contactoclaudiaoliveira@gmail.com

contactoclaudiaoliveira@gmail.com

BALANÇO | POUPANÇA E FINANÇAS

Faltam três meses para terminar o ano. Está na hora de fazer balanço das minhas finanças e poupanças. Levar as mãos à cabeça e calcular o que ainda preciso de poupar ou alterar.

 

via GIPHY

 

Vamos lá.

 

Finanças

Fiz as pazes com as finanças. Somos amigas outra vez. Vi a minha dívida ser perdoada e poupei uns valentes euros. Não podia ter ficado mais agradecida com esta situação. Foi uma excelente lição e aprendizagem. Aprendi bastante a este nível, tudo pago e tudo perfeito. Vou começar a controlar o site quinzenalmente de forma a evitar eventuais sustos.

 

Cartão de Crédito

O cartão de crédito está com a dívida saldada. Nem um cêntimo por pagar. Não faço intenções de usá-lo futuramente. Ontem vi descontado um valor de 4€ na minha conta devido ao cartão de crédito. Tenho de verificar se é um valor mensal por ter o cartão. Sempre fui um bocadinho despistada com essas coisas. Casa seja um valor mensal vou cancelar o cartão. É um valor alto e ao final do ano acaba por cerca de 50€ por algo que não uso. 

 

Conta Poupança

Abri uma Conta Poupança Aforro no meu banco. O dinheiro está a ser guardado mensalmente e tem corrido bem até ao momento. No mealheiro coloquei o dinheiro das vendas que eu fiz (Kobo, por exemplo) mas pretendo juntar este dinheiro à conta poupança de forma a receber juros.

 

Dívidas

Saldei duas grandes dívidas que mantinha desde o inicio do ano e não podia estar mais satisfeita. Tenho a decorrer o crédito do carro que pretendo pagar assim que juntar o dinheiro. Quero saldar as dívidas com o maior valor de TAEG (é um ótimo indicador para comparar o custo total de um crédito pessoal porque, para além de incluir encargos com juros, despesas de processo e comissões, engloba igualmente os custos do seguro do crédito. Assim, num crédito pessoal, automóvel ou com outra finalidade, é definitivamente esta a taxa que deve analisar para comparar custos entre instituições). 

 

Telecomunicações

Alterei os tarifários e estou a poupar vários euros mensalmente. O meu plano é o mais barato do mercado em Portugal. Comprei um telemóvel mais barato em vez de optar por uma marca muito cara. 

 

Compras

Diminui drasticamente as compras, dei continuidade a tudo o que aprendi nos anos anteriores.

A pouca roupa que comprei foi em França em grandes armazéns. Assim como o único par de ténis. Gastei alguns euros no IKEA para alterar a decoração do quarto. Foram cerca de 50€ (almofadas, tapete, plantas,...). Investi em produtos de make up na altura dos saldos: base correctiva (2 em 1), máscara de olhos, serum anti age, óleo enriquecedor e água micelar. Nisto estou muito poupada porque só compro produtos quando algum termina. Também deixei de comprar certos produtos e não sinto falta. Poupo vários euros desta forma. 

 

Em relação ao meu maior vicio, os livros, saí-me lindamente. Foi realmente a minha grande evolução. Não deixei de comprar livros, mas em vez dos trinta ou quarenta que comprava num evento como a Feira do Livro comprei cinco. Não cedo facilmente às promoções e campanhas quando não pretendo de todo ler os livros de imediato. Criei os desafios 5+13+1. A minha lista de desejados continua a ser contida e racional. 

 

Desafio 52 semanas

Correu bem até ao mês da viagem a Paris. Depois optei por colocar o dinheiro numa conta em vez de estar num mealheiro sem juros. Está a correr melhor do que esperava. 

 

Geral

Fui várias vezes a restaurantes este ano. Só me arrependo de uma única vez porque gastei muito e comi super mal. Foi numa visita a São Martinho. Comer bem continua a ser um dos grandes prazeres da vida e com as poupanças acabei por ter mais espaço de manobra para ir a restaurantes com a minha família. Evito de todo visitas a pastelarias e prefiro beber o meu café em casa assim como levar marmita para o emprego. Ainda preciso de melhorar as minhas visitas ao supermercado. Compro várias coisas desnecessariamente porque adoro experimentar produtos novos. Continuo só a comprar produtos em promoção quando preciso de escolher. Também deixei de efectuar compras mensais no supermercado e optei pelas compras quase diárias. O meu saldo para as compras no supermercado acabou por render mais e chegar até a final do mês em algumas alturas. Somos quatro em casa, mas fazemos uma boa gestão do dinheiro. Anoto tudo, estou atenta e perdi o medo de espreitar o saldo do multibanco. 

 

Grupo no Facebook | poupança 2017

contactoclaudiaoliveira@gmail.com

queremlaver.blogs.sapo.pt

@ClaudiaOSimoes


ENVIADA A PRIMEIRA NEWSLETTER

 

Já foi enviada a primeira Newsletter  (podes subscrever AQUI). O primeiro tema foi Rotina e Organização. Falo um bocadinho da minha experiência pessoal e dou algumas dicas e sugestões de leitura. Afinal comecei o curso e tudo mudou. O meu tempo mudou. Espero sinceramente que gostem. É conteúdo exclusivo e feito com muito carinho. 

 

 

 

via GIPHY

EXAUSTA, MAS FELIZ

 

 

Consegui finalmente meter mãos à obra e transformar o  meu quarto num espaço mais parecido com o meu gosto. Comprei o material (duas tintas e pincéis) por cerca de 25€. Comecei pelas duas cómodas, depois pela cama. No final transformei o espaço e tornei-o mais harmonioso. Adoro cada parede. Ficou muito mais minimalista e cheio de luz. Acabei por gravar um bocadinho para verem. Se eu consegui, qualquer pessoa consegue. Claro que faltam os últimos pormenores, sobretudo relacionados com o mural da parede em frente da secretária. Também pretendo preencher a parede vazia atrás da cadeira, ao lado da porta. Preciso de algo apropriado e útil. Não paro de ver o pinterest para encontrar ideias nesse sentido. Acabei por ter uma ideia muito barata e fofa. Não quero nada muito brilhante e espampanante, quero algo simples e bonito. Estão a ver a ideia? O sábado foi dedicado ao meu quarto. O domingo à sala. Finalmente o meu marido decidiu tirar o móvel da sala. Oito meses! Era um móvel antigo que nada favorece a minha casa nem a energia dessa. Trazia-me más recordações. Eu gosto de cortar com isso. Foi desta e fiquei tão feliz. Enchi vários sacos cheios de papelada e objectos inúteis. Menos madeira para eu limpar, mais espaço e alegria. Adoro. 

 

Mas nem tudo é um mar de rosas. Tenho algumas caixas para arrumar no corredor e a estante de livros para organizar. Tudo com calma e sem stress. O pior é já passou, restam as dores musculares e esta satisfação pessoal. Com as arrumações acabei por descobrir o material escolar que eu precisava. Só preciso de comprar uma mochila. Euros poupados. Adoro. 

 

Ainda consegui participar na #cineserao e vi três filmes. Deixo uma recomendação necessária, o documentário "Chasing Coral". Um documentário que dá a conhecer aquilo que o homem está a fazer com a vida nos oceanos. É tão triste ver o planeta ser destruído. Vejam! É uma hora e pouco que passa rapidamente.Adoro.

 

Amanhã é feriado! Aproveitem bem. Eu vou aproveitar para ver mais uns filmes, tentar descansar e arrumar mais uma coisas. Talvez vá fazer um piquenique com a família e passe no IKEA. Adoro.

EXTRAS A UMA SEXTA FEIRA

 

 

 

 

Recebi mensagens tão simpáticas no vídeo de ontem, aqui e no instastories, acordei de sorriso no rosto. Esperava receber boa energia, mas superou todas as minhas expectativas. Fico muito contente. Estudar é realmente uma escolha e vai alterar a rotina da minha família. Ansiosa e apreensiva com as mudanças espero de facto conseguir triunfar e alcançar os meus objectivos. Acredito que vou conseguir apesar de alguns pensamentos normais nesta altura. Mas antes vou de férias. Aquela fase da vida em que os pais não descansam assim tanto e acabam por pedir férias das férias.

 

 A m-M recomendou este cantinho na sua lista de blogues a seguir (obrigada!). Acabei por descobrir novos cantinhos inspiradores para ler. Foi realmente serviço público. 

 

Há cerca de duas semanas emprestei um livro a uma colega que não lia nada há bastante tempo. Hoje disse-me que está a gostar imenso da história. "O Castelo de Vidro", um livro que super recomendo, para além disso está quase a sair o filme. Se querem um livro que vos prenda este é o livro certo. Vale a pena dar uma oportunidade. 

 

Na reunião desta manhã fomos informados do sucesso e dos objectivos alcançados. É bom pertencer a um grupo de sucesso, sobretudo porque andei com algumas dúvidas em relação ao meu desempenho. Desta forma, senti-me mais segura e motivada. Todos erramos, vejo isso todos os dias e deixei de sentir os meus erros como falhas irreparáveis e únicas. Até os melhores, os mais perfeitos. Posso fazer melhor, tudo farei para conseguir tornar mais organizado e positivo o meu trabalho. Sem deixar-me afectar por atitudes de arrogância. Seja um revirar os olhos no momento de uma pergunta inocente ou um erro. A minha humildade não diminui, nem o meu tom de voz sobe. As más atitudes ficam para quem as pratica. Foi esta a frase que repeti durante meia hora para afastar as más energias. E repito sempre que necessário. Eu sabia que vinham boas novas. Cá estão.

 

Ontem no final do dia recebi uma mensagem de alguém a lamentar certas atitudes de terceiros. Aconselhei a pessoa a focar-se nela. Tem tudo a ver com isso. Quando estamos mais preocupados com quem amamos ou com aquilo que fazemos nunca reparamos no que é secundário. Não vamos desperdiçar energia com aquilo que nos faz mal, não é verdade? Afastem os pensamentos, não batem na mesma tecla, façam algo que gostem ou esperem pelo dia seguinte com calma. Claro que por vez sou atingida por atitudes dos outros (vivemos em sociedade), mas logo liberto-me dessa preocupação. Pergunto-me, o que me preocupa realmente? Isto, isto e isto. Ok, certo. Não vou preocupar-me mais, amanhã penso nisso. Funciona, prometo. 

 

Começar o fim de semana da melhor forma. 

FIM DE SEMANA ALENTEJANO

 

Adoro viajar. Ver paisagens, sentir o ar fresco da aragem enquanto vou à padaria local mais próxima comprar pão. Com filhos a vida muda. Tentamos que seja amena, doce no meio do turbilhão dos dias quentes. O caminho de três minutos passa a dez. Dormir até mais tarde está fora de questão e o dia fica enorme. Construimos lembranças, memórias. Fortalecemos uma ligação para a vida. Final do dia bastante cansada, escuto o silêncio e agradeço a respiração suave vinda dos meus pequenos. Viajar a quatro é intenso. Mostrar os lugar conhecidos aos olhos de quem vê pela primeira vez. Procurar novos lugares para em conjunto retirarmos a espuma dos dias. 

 

(hoje apetece-me escrever)

Cortar com alguém no emprego

 

Cortar relações com alguém no emprego é estabelecer os limites e lugar da pessoa em causa. Ou seja, nós não podemos deixar de falar simplesmente com uma colega de trabalho de um dia para o outro. Somos adultos, temos funções e precisamos de interagir. Mas imaginem que essa pessoa era vossa amiga. Uma pessoa com quem conviviam fora do horário laboral. O processo pode ser demorado. Depende qual era a relação com essa pessoa. Se era uma amiga ( ou alguém próximo) vai demorar até começares a dizer "não!" ou até decidires que "chega!"

 

Este ano, sabia que estava preparada emocionalmente para começar a "dizer não!" e a eliminar tudo o que me fazia mal. Sabia que era o momento certo e meti isso na cabeça, comecei a preparar-me emocionalmente. Antes, tive uma conversa. Uma conversa bem madura onde coloquei todas as minhas dúvidas em relação à nossa amizade/relação dentro do escritório. Isto aconteceu perto do Natal do ano passado. Ouvi coisas que me magoaram muito (e outras onde fiquei completamente chocada). Mas foi dentro do escritório que as desilusões aconteceram. Ouvi as respostas e fui para casa reflectir. Sem expectativas, sem esperanças que alguma coisa mudasse. Afinal já tinham sido várias as conversas deste género. sabia que esta amizade estava "condenada", era uma questão de semanas e de atitude da minha parte. E gente, para uma amizade (ou outro tipo de relação) tem de existir sinceridade. Tem de ser genuíno. 

 

Desabafei com várias pessoas amigas para tentar obter vários pontos de vista. Queria saber se eu era picuinhas ou se do outro lado não havia correspondência do que eu esperava de uma verdadeira amizade. Assumo que sou exigente, mas neste caso nem estava a ser. Estava a colocar o pó para debaixo do tapete. Estava a arranjar desculpas. E todos os dias estava a ser magoada. Até que CHEGA! 

 

Para eliminar pessoas tóxicas na nossa vida temos de sentir que estamos preparadas e conhecer os motivos. Magoou-te? Traiu-te? Faz-te sentir mal? Acontece com frequência? É uma pessoa tóxica. Rodeia-te de quem te faz sentir bem. Mas no escritório não dá, tens de conviver com essa pessoa (pessoas) oito horas. É preciso ter muita força de vontade e respirar fundo muitas vezes. Estabelecer limites é importante. Sem perguntas, não tens respostas. Sem conversas, não tens mais conversas. Rejeita convites, prepara-te para dizer não. E se a pessoa quiser voltar a conversar, simplesmente diz que não estás interessada. 

 

Depois de estabelecidos os limites, começa a tratar a pessoa como um colega de trabalho. Alguém que precisas comunicar para o bom funcionamento da empresa. Sem ligação afectiva. Perdoar também é muito importante (talvez o mais importante), nem estar sempre a procurar respostas para o que te fizeram. Foi feito, deixa ir. Nunca, jamais, mendigues alguma espécie de amor, amizade. 

 

O meu processo foi demorado, mas consegui chegar a uma boa fase. Vou para casa sem ser magoada porque não tenho mais expectativas. Vou para casa de consciência limpa porque sempre fui correcta. Nem entro nas conversas de foro pessoal. Faço com os meus amigos, fora do escritório. 

 

A grande mudança começa dentro de nós. Acho importante uma boa base emocional para lidar com estas mudanças. Boas amizades e  amor próprio. Romper com pessoas tóxicas é TÃO libertador. Dá espaço para entrar novas pessoas na tua vida.

 

Perdoa e segue em frente. Existem pessoas que valem a pena. 

Sem palavras presas na garganta

 

Uma amiga, durante um chá, disse-me: "Tu enfrentas as pessoas. As pessoas não gostam de ser enfrentadas". E fiquei a pensar naquilo. Eu enfrento as pessoas. Eu não gosto de guardar as palavras que tenho para dizer porque fico a pensar nelas e isso não me faz bem. Fico ansiosa. Então procuro sempre enfrentar e dizer com sinceridade o que penso. Pouco comum. Normalmente as pessoas fingem que não se passa nada. Eu não consigo.

 

Ultimamente (este ano) reparei não o faço com a mesma frequência. Em duas ou três situações (e pessoas) simplesmente desisti e não senti necessidade de enfrentar a situação. Quando acho que a pessoa já não merece essa acção da minha parte quer dizer uma coisa: já não me importo

 

Isto de importar tem muito a ver com a hora de deitar a cabeça na almofada. Se a minha mente não procura uma justificação para a acção A ou B, ou se acordo sem palavras presas na garganta quer dizer que já não importa. Não me faz mal, já não importa.

 

Quando me afastei de uma pessoa este ano diziam-me; "tens de falar com ela". Mas eu já não sinto necessidade de falar. O peso no peito desapareceu. Foram tantas as conversas, entendem? Isto é o que eu chamo de : cortar com as pessoas. Tem de ser natural. Não temos de ficar a remoer vezes sem conta as situações ou os motivos do afastamento. Tem muito a ver com aceitação.

 

Aceitar a saída e perdoar dentro do peito. Entender os benefícios de nunca mais andar com expectativas em relação à pessoa A ou B. É de uma sensação de liberdade enorme. Isto foi a minha maior aprendizagem durante o ano passado. Não vos minto, foi uma aprendizagem gradual e não consegui fazer isto do dia para a noite. Foi algo que mudou na minha mente através da experiência, da repetição. Ao chegar a este ponto tornei-me mais forte emocionalmente e preparada para outros desafios. O foco virou-se para o que faz bem e não para o que andava a fazer-me mal.

 

O auto conhecimento é muito importante nesta caminhada. Primeiro espiritual e emocional. Por onde se começa? Pela curiosidade. A curiosidade será sempre o ponto de partida para tudo. Remete à pesquisa, procura, questionamento. E quando estamos prontos para receber informação em relação a algo que queremos ter conhecimento simplesmente a energia atrai o resto.