Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

queremlaver

contactoclaudiaoliveira@gmail.com

contactoclaudiaoliveira@gmail.com

A ESCOLA NÃO É UMA VILÃ

 

  A literatura mudou muito a minha postura, forma de comunicar e conhecimento. Noto sobretudo na escola, durante as aulas. Por exemplo, estivemos a falar sobre a Segunda Guerra Mundial. Um assunto que me interessa e emociona. A professora passou um pequeno vídeo sobre o tema na sala de aula. Acabamos a debater o assunto e levantar questões. Senti-me perfeitamente confortável para dar a minha opinião, sugerir livros e ainda transmitir alguns factos que a maioria desconhecia.

 

  Sempre tive dificuldades em falar em voz alta perante uma plateia, por detrás da câmara sinto-me como peixe em água. Quando apresento os trabalhos para a turma ainda sinto alguma dificuldade em não ficar com o rosto corado. Nas apresentações, quando preciso de falar sobre o meu percurso escolar e pessoal, não sinto o mesmo. Falo com todos os meus colegas e professores, noto que tenho imensa facilidade em fazer novas amizades ao contrário dos anos anteriores. Nos eventos ligados à literatura/editoras também sinto algum à vontade. Mas ainda preciso de melhorar. Sempre fui tímida e coro com imensa facilidade. Não dá jeito em algumas situações particulares. Para além disso fico mais nervosa sempre que acontece.

 

  A literatura ajudou-me imenso a combater esta timidez. Deu-me confiança suficiente para dar a minha opinião em determinados assuntos. Abriu portas a nível da comunicação e acrescentou informação. As experiências e informações em determinados romances ou livros de não-fição complementam as noticias ou qualquer facto da História Mundial conhecido na sala de aula.

 

  Fiquei surpreendida com o desconhecimento geral em relação a Anne Frank ou Primo Levi. No entanto, reflito e concluo que é perfeitamente normal porque eu vivo no mundo dos livros, respiro literatura desde muito cedo. Mas a realidade portuguesa não é esta, não somos um país de leitores.

  

  No entanto, não sinto que esteja a um nível paralelo à quantidade de livros lidos e tenho um enorme trabalho pela frente a nível léxico. Estudar ajuda-me a estabelecer contato com pessoas mais experientes que definitivamente têm muito para me ensinar. Por isso adoro ir à escola e dedicar o meu tempo ao estudo.

 

Tem sido um ano de aprendizagem e evolução. A literatura continua a ser a maior responsável.

 

POUPANÇA NOS LIVROS | OS MEUS DESAFIOS

 

Aproveitei a campanha de um site de livros (20% desconto e portes gratuitos). Acabei por comprar cinco livros e quebrar o desafio 5+1. Aproveitei uma campanha de livros de bolso (oferta de toalha de praia na compra de três livros de bolso). Ou seja, preciso de ler vinte e sete livros para voltar a comprar um livro. Eu acredito sinceramente que vou conseguir. Tive um mês de leituras espectacular. Agosto não será excepção. Em Setembro entro de férias grandes e vou conseguir ler bastante também. Também levam vários livros na mala? Andei um bocadinho para a frente com muita confiança em mim. E poupei uns bons euros em dois livros que quero ler já em Agosto. Os livros de bolso gosto de levar para as férias. Por falar em livros de bolso, preciso de terminar a série Millennium (segundo e terceiro volume). No próximo ano o projecto 5+1 será ainda mais complicado, vou dificultar tudo. Só compro um livro após a leitura de três livros da minha estante. Para baixar a pilha. Baixo para três porque quero focar-me nos estudos. Não vou ler dez livros por mês de certeza. Nem quero. 3+1.

UMA LIVRARIA SOLIDÁRIA

IMG_20170719_154615.jpg

 

 

ontem fiz voluntariado na Déjà Lu, em Cascais (perto da Pousada de Cascais). é uma livraira solidária, 100% das vendas revertem para Associação Portuguesa de Portadores de Trissomia 21. os livros vendidos são em segunda mão, em muito bom estado. o espaço é lindo de morrer. não me importava nada de morar ali. podem doar os vossos livros, a livraria agradece. 

POUPEI UNS EUROS NESTE LIVRO

olx, 5€

livraria, 17.51€ 

 

a felicidade pode ter este tamanho, rectangular com folhas amareladas. já li metade deste livro há alguns anos atrás, quando falámos na aula de história sobre os efeitos da Grande Depressão. anos depois volto a ele, com outra vontade e maturidade. do autor já li "Ratos e Homens" (livro fabuloso, da vida) e "A Pérola" (pretendo reler). gosto imenso de livros usados, em particular desta colecção "Livros do Brasil". 

 

 

EU, OS LIVROS E OS OUTROS

 

por saber o tempo precioso repenso os livros na estante à espera. desconfiada dos meus gostos literários presumo que ando a perder os melhores enquanto folheio os razoáveis. pego no Victor Hugo inacabado, sinto que deixei a meio os melhores. talvez por isso, no próximo mês, pretendo fazer desta minha fase um projecto, voltar a eles. talvez esteja pronta. talvez tenha chegado o momento certo. 

 

Nossa Senhora de Paris, Victor Hugo

Uma História de Amor e Trevas, Amos Oz

Mulheres que Correm com os Lobos, Clarissa Pinkola Estes

Crime e Castigo, Dostoiévski

O Filho, Philip Meyer

 

fiz uma escolha aprumada dos livros que pertencem ao pequeno grupo "não gostei e não pretendo guardar nem reler" e  "não faz mais sentido estar na estante, perdi a vontade de ler". quero de facto contribuir para uma boa biblioteca pessoal, nunca foi intenção coleccionar livros como meros objectos decorativos. nunca fui muito agarrada aos meus livros (excepto os favoritos e inspiradores), sempre tive facilidade em doar às bibliotecas de forma a dar oportunidade a outros leitores. já distribui livros pelas ruas com um bilhete surpresa. já ofereci livros a pessoas apaixonadas por livros. fico feliz. reparei que a maior parte das pessoas nem sequer leram os livros depois de terem pedido para ficar com eles. mais olhos do que barriga. não resistem a borlas. fico triste. talvez por isso tenha decidido oferecer apenas a uma ou duas pessoas. mais vale estarem na biblioteca em vez de parados em outra estante. 

 

ando a limpar os livros "to read" no goodreads, ando a colocar novos livros também. os meus gostos literários mudaram a olhos vistos. apago os livros comprados impulsivamente por estarem a um preço sorridente. resisto a borlas. só me falta deixar de influenciar pelo marketing. vejo cada vez mais bons programas literários e leio jornais com boas sugestões. visito as bibliotecas e levo sempre livros para casa. resisto às promoções 2+1. continuo firme e forte no meu desafio 5+1 (só compro um depois de ler cinco). as parcerias com as editoras ajudam muito, não nego. resisto e só peço mesmo mesmo aquilo que quero ler (algumas editoras enviam livros sem pedir, leio se quiser).

 

 

não há falta de espaço para novos, nem usados. há filas intermináveis de histórias e personagens carismáticas nas minhas estantes. a feliz possibilidade de comprar livros agora que ganho o meu próprio dinheiro em vez de esperar pelo natal para receber um livrinho novo embrulhado em papel vermelho. é o melhor no mundo dos adultos. de resto, continuo a preferir as noites em que prolongava os momentos de leitura sem medo de me atrasar em pleno julho. tudo o que me esperava era mais um dia de brincadeira na rua. 

 

sei o que não quero ler. cada vez mais. sei de quem devo aceitar indicações e como quero a minha biblioteca pessoal. o meu gosto literário está cada vez mais evidente, marcado por algumas características mostra-me a leitora que sou hoje. em constante transformação.

Como organizo as minhas leituras

Instasize_0111131721.jpg

Instasize_0111131741.jpg

Instasize_0111131657.jpg

 

 Organizo as minhas leitura concluídas de forma muito simples. Num caderno liso. Gosto de fazer uma tabela. Este ano optei por acrescentar mais tópicos porque senti necessidade de obter outros elementos para os meus resumos e estatísticas. 

 

Número: vou escrevendo algarismos por ordem crescente.

Título: coloco o título do livro.

Autor: coloco o nome do autor.

Nacionalidade: coloco a nacionalidade do autor. Adoro diversificar neste campo. 

Mês: o mês a que corresponde a leitura do livro.

Páginas: o  número de páginas para somar no final do mês. Gosto de saber, curiosidade apenas. 

F/M: se o autor é mulher ou homem. 

Projecto/desafio: o desafio ou o projecto para o qual li o livro ou as minhas hastags (ex.leiamulheres).

Inspiração/Recomendação: onde encontrei este título? foi sugestão de alguém? ou li porque simplesmente gosto da autora? é onde coloco essa informação. 

 

Estes dois últimos elementos acrescentei este ano. Sempre que termino uma leitura preencho este quadro. No final do mês é mais fácil para mim fazer o resumo e descobrir o que falta ou ando a ler. 

 

Adoro dar prioridade aos livros escritos por mulheres, não ficção, clássicos e autores portugueses. Posto isto, gosto de anotar com uma cruz tudo o que vou lendo dentro destas categorias. Podem optar pelas vossas preferidas. 

 

E vocês? Como organizam as vossas? O que acham desta tabela? Partilhem!