Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

queremlaver

contactoclaudiaoliveira@gmail.com

contactoclaudiaoliveira@gmail.com

BALANÇO | POUPANÇA E FINANÇAS

Faltam três meses para terminar o ano. Está na hora de fazer balanço das minhas finanças e poupanças. Levar as mãos à cabeça e calcular o que ainda preciso de poupar ou alterar.

 

via GIPHY

 

Vamos lá.

 

Finanças

Fiz as pazes com as finanças. Somos amigas outra vez. Vi a minha dívida ser perdoada e poupei uns valentes euros. Não podia ter ficado mais agradecida com esta situação. Foi uma excelente lição e aprendizagem. Aprendi bastante a este nível, tudo pago e tudo perfeito. Vou começar a controlar o site quinzenalmente de forma a evitar eventuais sustos.

 

Cartão de Crédito

O cartão de crédito está com a dívida saldada. Nem um cêntimo por pagar. Não faço intenções de usá-lo futuramente. Ontem vi descontado um valor de 4€ na minha conta devido ao cartão de crédito. Tenho de verificar se é um valor mensal por ter o cartão. Sempre fui um bocadinho despistada com essas coisas. Casa seja um valor mensal vou cancelar o cartão. É um valor alto e ao final do ano acaba por cerca de 50€ por algo que não uso. 

 

Conta Poupança

Abri uma Conta Poupança Aforro no meu banco. O dinheiro está a ser guardado mensalmente e tem corrido bem até ao momento. No mealheiro coloquei o dinheiro das vendas que eu fiz (Kobo, por exemplo) mas pretendo juntar este dinheiro à conta poupança de forma a receber juros.

 

Dívidas

Saldei duas grandes dívidas que mantinha desde o inicio do ano e não podia estar mais satisfeita. Tenho a decorrer o crédito do carro que pretendo pagar assim que juntar o dinheiro. Quero saldar as dívidas com o maior valor de TAEG (é um ótimo indicador para comparar o custo total de um crédito pessoal porque, para além de incluir encargos com juros, despesas de processo e comissões, engloba igualmente os custos do seguro do crédito. Assim, num crédito pessoal, automóvel ou com outra finalidade, é definitivamente esta a taxa que deve analisar para comparar custos entre instituições). 

 

Telecomunicações

Alterei os tarifários e estou a poupar vários euros mensalmente. O meu plano é o mais barato do mercado em Portugal. Comprei um telemóvel mais barato em vez de optar por uma marca muito cara. 

 

Compras

Diminui drasticamente as compras, dei continuidade a tudo o que aprendi nos anos anteriores.

A pouca roupa que comprei foi em França em grandes armazéns. Assim como o único par de ténis. Gastei alguns euros no IKEA para alterar a decoração do quarto. Foram cerca de 50€ (almofadas, tapete, plantas,...). Investi em produtos de make up na altura dos saldos: base correctiva (2 em 1), máscara de olhos, serum anti age, óleo enriquecedor e água micelar. Nisto estou muito poupada porque só compro produtos quando algum termina. Também deixei de comprar certos produtos e não sinto falta. Poupo vários euros desta forma. 

 

Em relação ao meu maior vicio, os livros, saí-me lindamente. Foi realmente a minha grande evolução. Não deixei de comprar livros, mas em vez dos trinta ou quarenta que comprava num evento como a Feira do Livro comprei cinco. Não cedo facilmente às promoções e campanhas quando não pretendo de todo ler os livros de imediato. Criei os desafios 5+13+1. A minha lista de desejados continua a ser contida e racional. 

 

Desafio 52 semanas

Correu bem até ao mês da viagem a Paris. Depois optei por colocar o dinheiro numa conta em vez de estar num mealheiro sem juros. Está a correr melhor do que esperava. 

 

Geral

Fui várias vezes a restaurantes este ano. Só me arrependo de uma única vez porque gastei muito e comi super mal. Foi numa visita a São Martinho. Comer bem continua a ser um dos grandes prazeres da vida e com as poupanças acabei por ter mais espaço de manobra para ir a restaurantes com a minha família. Evito de todo visitas a pastelarias e prefiro beber o meu café em casa assim como levar marmita para o emprego. Ainda preciso de melhorar as minhas visitas ao supermercado. Compro várias coisas desnecessariamente porque adoro experimentar produtos novos. Continuo só a comprar produtos em promoção quando preciso de escolher. Também deixei de efectuar compras mensais no supermercado e optei pelas compras quase diárias. O meu saldo para as compras no supermercado acabou por render mais e chegar até a final do mês em algumas alturas. Somos quatro em casa, mas fazemos uma boa gestão do dinheiro. Anoto tudo, estou atenta e perdi o medo de espreitar o saldo do multibanco. 

 

Grupo no Facebook | poupança 2017

contactoclaudiaoliveira@gmail.com

queremlaver.blogs.sapo.pt

@ClaudiaOSimoes


VALEU A PENA TER KOBO?

Há uns anos atrás comprei um Kobo. Tinham acabado de chegar a Portugal e eu fiquei em ânsias para experimentar. O Kobo é um leitor de ebooks. Foi uma prendinha de mim para mim no dia do meu aniversário. Usei muito, até ao dia em que o vendi. Exactamente no domingo passado. Comprei por 179€, vendi por 60€. Super baratinho, não é verdade?

 

A grande vantagem do Kobo na minha vida foi a possibilidade de ler no escuro enquanto os meus filhos dormiam ao lado no berço. Eles agora dormem no quarto deles por isso já posso ter a luz acesa quando quiser. Posto isto, como quero guardar dinheiro e sempre sonhei ter um Kindle, decidi que estava na hora de destralhar. Enquanto tive um Kobo poupei uma série de euros em livros. Verdade! Por isso recomendo sempre para quem gosta de tecnologia e pretende poupar euros. 

 

Por enquanto estou decidida a ler apenas os meus livros em papel e diminuir a pilha de livros por ler da minha estante. Entretanto já andei a espreitar Kindle usados no OLX, não pretendo dar mais de 70€ por um. Até lá está tudo bem, o porco mealheiro está a engordar tal como eu gosto. 

 

 

 

 

 

HOTDEALS OU BLACK FRIDAY?

Aproveito a Hotdeals até amanhã ou espero pela Black Friday? Alguém pode estar a colocar esta questão na mesa.

 

Ouvi dizer que algumas marcas fazem promoções enganosas na Black Friday. Por exemplo, metem os produtos a um preço superior e anunciam um super desconto com o mesmo preço do ano inteiro. Imensas noticias na internet sobre o assunto, também já vi algumas situações desse género em época de saldos). No entanto, sei de grandes compras na Black Friday com 50% desconto em cartão, por exemplo. Electrodomésticos é do melhor nessa altura.

 

Gostei das características deste portátil (imagem no topo) e do preço. Acho que são óptimas características para quem pretende estudar informática. Mas sabem o que reparei ontem no curso? A escola tem computadores e fazemos todos os trabalhos no horário do curso. Não preciso de fazer nada em casa no primeiro ano. Vai dar-me mais tempo para pensar e para comparar preços em várias campanhas. Quando chegar a Black Friday vejo se o preço é realmente bom.  Até lá vou ficar atenta. 

 

Outra coisa, como é que costumam fazer com o Office? Reparei que os últimos portáteis que comprei não vinham com o Office instalado. É comum, segundo as minhas pesquisas. Os packs são um bocadinho caros (ver imagem no topo). Alguém conseguiu a um preço melhor? Eu sou muito leiga no assunto, mas estou a tentar aprender o máximo possível.

 

 

 

 

VOU GASTAR 1179€ COM UM IPHONE NOVO?

Quando tomei a decisão de poupar realmente, com corpo e alma, decidi que não ia comprar mais nenhum iPhone quando precisei de comprar um telemóvel novo e trocar o meu iPhone Plus avariado. Vendi-o, ganhei uns trocos e comprei uma opção mais barata. Um telemóvel de marca chinesa (Zedmi Note 3). Não me arrependo de todo. Não sinto necessidade nenhuma de ter outro telemóvel e estou bastante satisfeita. Se é para tomar uma decisão que tenha força e seja coerente. 

 

Já saiu a noticia do lançamento do próximo iPhone 8, as reservas podem ser feitas a partir das 08:01 do dia 27 de outubro. Imagem super apelativa, multi-funcionalidades, carregamento sem fios, uma câmara espectacular. Há uns anos atrás esta noticia seria culpada dos meus gritos histéricos e pulos infinitos. Fazia a reserva e contava os dias. Hoje está longe de ser a minha realidade. 

 

Fiquei totalmente indiferente com a notícia. O preço está longe de ser um bom preço (1179€). Não faço intenções de dar uso ao meu cartão de crédito nem  gastar as minhas poupanças desta forma. E não fico triste. Pelo contrário, fico muito satisfeita com os progressos que tenho feito em relação ao consumismo. 

 

O meu computador infelizmente avariou-se e está completamente destruído. Como criadora de conteúdo preciso de um computador para fazer edição de vídeos. Como estudante de informática também preciso de material para trabalhar e estudar. É uma necessidade, certo? Neste caso terei de pensar numa segunda opção. Para pesquisa utilizo o meu notebook, mas não serve para muito mais. Acho que a reparação terá um valor alto, mas vou tentar passar nua loja para descobrir. Já andei a ver computadores e sinceramente não me apetece de todo gastar dinheiro com um. Mas mais cedo ou mais tarde não tenho escapatória. 

 

O MacBook é maravilhoso e tenho a certeza absoluta que ficaria muito bem servida. Ás vezes penso se o barato não sai caro nestas situações. E pondero comprar um, mas depois abano a cabeça e voltar atrás. De certeza que existem portáteis competentes e mais baratos. Este é o truque para poupar uns euros. Colocar várias questões, ponderar muito antes de comprar seja o que for e procurar muito bem. Aproveitar campanhas e promoções. Estou exactamente nessa fase até ao dia em que o meu portátil se desligar para sempre. 

 

Vocês ficaram entusiasmados com o novo iPhone? São ponderados na hora de gastar muito dinheiro?

 

 

 

COMO VER PERDOADA UMA DÍVIDA ÀS FINANÇAS

 

 

 

 

Lerem bem o título. É possível! Vou contar-vos todos os passos. Experiência própria e final feliz. 

 

Criei uma dívida com as finanças este ano. Abri actividade e no momento de entregar o IRS não entreguei o  anexo B por ignorância. Não passei nenhum recibo durante o período com actividade aberta, mas é obrigatório entregar os anexos juntamente com o IRS. Surpresa das surpresas recebi uma notificação de penhora no valor de 290€. Ou seja, ia ser descontado esse valor do meu ordenado. No dia em que fui até ao departamento das finanças informar-me recebi outra notificação no site de mais uma divida no valor de 380€. Podem ler AQUI o primeiro post sobre a situação. Estes valores são coimas pela ausência do documento juntamente com juros

 

Quando contei no blog esta situação várias pessoas tentaram-me ajudar. E umas das opções era tentar recorrer e pedir o perdão da dívida/ afastamento da coima. Foi extremamente isso que eu fiz.

 

 

Existe uma opção na página das finanças na parte das multas fiscais , quando se abre o processo, uma opção: enviar pedido/reclamação. Também tens a opção: reclamação graciosa. Relatei tudo ao mínimo detalhe, mas antes enviei o IRS com os anexos devidos e fiz print. No momento de enviar a reclamação anexei o print. Expliquei a situação e pedi o perdão da dívida, assumindo a responsabilidade de pagar a penhora da primeira coima. 

 

Demorei cerca de quatro semanas para obter uma resposta. No dia em que ia à repartição das finanças informar-me da situação, recebi a visita do correio com uma carta registada das finanças com a resposta. Tinha sido aceite o perdão da dívida e eu estava ilibada de pagar 380€. Pude finalmente respirar de alívio e ver resolvida pela primeira vez uma situação com as finanças com um final feliz. A dívida encontra-se anulada no site das finanças. 

 

Penso que muitas pessoas desconhecem esta opção. Quando estive na repartição das finanças nenhuma das funcionárias colocou esta hipótese nem procurou ajudar-me da forma mais justa. Felizmente procurei muitas respostas antes de escolher o pagamento total da dívida. Felizmente tenho os melhores comentários e agradeço imenso por isso. Grata!

 

Espero sinceramente ajudar mais pessoas com este texto. Ficará eternamente registado na internet e servirá com certeza de exemplo para situações futuras. Conselhos: não se esqueçam de entregar o IRS com os anexos devidos (ou procurem uma profissional caso tenham dúvidas); reclamem e procurem respostas antes de pagar seja o que for. 

 

Poupei 380€. Não podia estar mais feliz e aliviada. E claro, tinha de partilhar convosco esta vitória. Obrigada a quem acompanhou esta história que teve um final feliz. Serve agora como aprendizagem pessoal e partilha de experiências. 

 

 

 

AJUDARAM-ME

 

Nunca fui tão ajudada por "estranhos". Estranhos, mais ou menos. Conheço os nicks, as pessoas que acompanham os meus cantinhos há algum tempo e outras que mantive contacto por determinado tempo e agora falamos de vez em quando. Pessoas que entraram na minha vida por causa dos blogs ou por causa da paixão pelos livros. Pessoas que simplesmente querem ajudar de alguma forma, sem nenhum interesse. Nem tudo é mau e fico mesmo feliz por ver bondade, sabem? Dá aquele quentinho no coração. E só mostra que esta comunidade é maravilhosa.

 

Confesso que não me senti confortável em expor esta situação mas precisava de tirar o nó na garganta. Precisava de ouvir conselhos, outros pontos de vista. E foram todos maravilhosos. Nem sempre quem está no centro do problema consegue descortinar as saídas. E foi exactamente isso que aconteceu.  O meu marido apoia-me, mas costumo ser eu a solucionar os problemas e ele costuma ser o conforto e o abraço.

 

Não sou pessoa de lamentar ou chorar no molhado. Quando um problema se revela um obstáculo o primeiro passo é perguntar-me: como posso resolver isto? Faço uma espécie de lista com várias opções e depois filtro. Começo logo a tratar de resolver tudo. E enquanto o problema não é ultrapassado não baixo os braços. Faço isso em vários pontos da minha vida. Quando meto algo na cabeça não consigo deixar para amanhã. Ontem foi um dia intenso. Não parei. 

 

Ontem consegui tratar de enviar novamente o IRS com os ditos anexos. E apesar dos problemas com o JAVA, instalações, erros consegui tratar do envio eram cerca das 23 horas. O meu sono só seria reparador se assim fosse. Também estive na casa do meu melhor amigo mas infelizmente não o computador dele não estava a cooperar. Ao longo do dia já tinha tratado de escrever um carta para perdão da dívida. Segundo alguns profissionais na área e partilha de experiências de pessoas que passaram pelo mesmo pode ser uma solução. O "não" está garantido. Fiz o pedido de crédito para ter o plano B no caso do "não". A carta será enviada hoje registada com aviso de recepção. Pretendo arranjar forma de enviar o IRS para uma contabilista que se ofereceu para verificar se está tudo bem preenchido. Já andei a ver forma de tirar o ficheiro mas não está fácil. Consegui dormir muito melhor e sinto-me cheia de energia e menos nervosa, como disse alguém, "fiz o que podia". 

 

Deixo aqui o meu profundo agradecimento a todos os que me ajudaram e deixaram uma palavra de força. Sério, estou muito grata por ver que estou rodeada de pessoas com boas intenções. 

DÚVIDAS FINANCEIRAS

 

Lá fui eu toda nervosa às finanças. Conclusão, tive actividade aberta em 2016 e quando fiz o IRS não entreguei o anexo B. Ignorância. Posto isto, são coimas por falta deste documento. Eu só tive a actividade aberta durante um mês. E não passei nenhum recibo. Ou seja, tenho de pagar a dívida total. 670€ por causa de um documento em falta. Metam os olhos nisto, não façam a mesma borrada. Podia fazer um acordo mas o valor mínimo é de 120€ ou retiram do ordenado uma parcela (um sexto do meu ordenado). Os juros continuam e nunca mais me livro disto. Pondero pedir um crédito ao meu banco para cessar a dívida na totalidade de uma só vez. O que queria mesmo era que me perdoassem a dívida e ficasse tudo resolvido. Não aguento mais. Fui falar com o meu banco e o mínimo de crédito é de 1000€, com uma prestação de 35€ por três anos. O que considero muito tempo. Também já falei com um contabilista, sugeriu que eu fizesse o IRS o mais rápido possível e pagasse a dívida o quanto antes. E tal pedir a devolução dessa dívida, mas não me deu garantias que seria possível. Pedra no sapato. Era aqui que fazia falta uma poupança. E é nisto que preciso focar-me urgentemente.