Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

queremlaver

contactoclaudiaoliveira@gmail.com

contactoclaudiaoliveira@gmail.com

PASSOU A SER A MELHOR AULAS DE SEMPRE

 

 

Adoro o curso que estou a tirar. É um alívio, um estimulo e uma descoberta constante. Só havia uma aula que gostava pouco, mais ou menos. Incomodava-me a atitude da professora tão apática, tão sorridente e silenciosa, sem nada para passar aos seus alunos. Quando me queixei das aulas não esperava voltar atrás na minha opinião. A primeira opinião raramente engana, não é verdade? Mentira. Engana e ainda nos faz engolir todas as letrinhas. Ou o meu detetor de personalidade está altamente estragado. Felizmente não sou casmurra e dou oportunidades a mim mesma para encontrar o lado melhor nos outros. Não têm de mostrar, não têm nada a provar. Sou eu que preciso de sobreviver no meio da aula que gosto pouco, enquanto se salva aquele sorriso silencioso, ou não me deixo ficar pela primeira opinião. Ontem consegui ir ao curso. Entreguei o trabalho e pedi indicações para o próximo. Vantagens da internet. Ok, fácil. A turma enche a professora de perguntas após tanto silêncio. A professora deixa escapar que é autora de uma revista literária e que usa as redes socais para divulgar o seu projeto em vez de partilhar fotos da sua vida pessoal. Alto! Revista literária! Os meus ouvidos não ouviram mais nada. Lá fui eu, devagarinho. “Professora, pode dizer-me o nome da sua revista?”. Entusiasmada mostrou-me o site, os artigos, o programa literário onde apareceu, conversou sobre autores, partilhou confidências sobre os prémios literários onde foi jurada, a vontade e o convite para ir ao Parady no Brasil, sobre as disputas entre os poetas, as zangas com um autor muito conhecido, o fraco estilo narrativo de um autor que muito estimo, indicou-me vários autores. Juro, os meus olhos brilhavam. Brilhavam tanto que a aula que gostava pouco transformou-se na melhor aula de sempre. Engoli as palavrinhas todas. E meu deus, como estou feliz por estar errada. No final despedi-me da professora e agradeci, “Professora, estou maravilhada! Adorei!”. E fico a pensar, somos todos uma espécie de livros por ler, com capítulos capazes de mudar o enredo e impactar nos momentos mais inesperados. 

A ESCOLA NÃO É UMA VILÃ

 

  A literatura mudou muito a minha postura, forma de comunicar e conhecimento. Noto sobretudo na escola, durante as aulas. Por exemplo, estivemos a falar sobre a Segunda Guerra Mundial. Um assunto que me interessa e emociona. A professora passou um pequeno vídeo sobre o tema na sala de aula. Acabamos a debater o assunto e levantar questões. Senti-me perfeitamente confortável para dar a minha opinião, sugerir livros e ainda transmitir alguns factos que a maioria desconhecia.

 

  Sempre tive dificuldades em falar em voz alta perante uma plateia, por detrás da câmara sinto-me como peixe em água. Quando apresento os trabalhos para a turma ainda sinto alguma dificuldade em não ficar com o rosto corado. Nas apresentações, quando preciso de falar sobre o meu percurso escolar e pessoal, não sinto o mesmo. Falo com todos os meus colegas e professores, noto que tenho imensa facilidade em fazer novas amizades ao contrário dos anos anteriores. Nos eventos ligados à literatura/editoras também sinto algum à vontade. Mas ainda preciso de melhorar. Sempre fui tímida e coro com imensa facilidade. Não dá jeito em algumas situações particulares. Para além disso fico mais nervosa sempre que acontece.

 

  A literatura ajudou-me imenso a combater esta timidez. Deu-me confiança suficiente para dar a minha opinião em determinados assuntos. Abriu portas a nível da comunicação e acrescentou informação. As experiências e informações em determinados romances ou livros de não-fição complementam as noticias ou qualquer facto da História Mundial conhecido na sala de aula.

 

  Fiquei surpreendida com o desconhecimento geral em relação a Anne Frank ou Primo Levi. No entanto, reflito e concluo que é perfeitamente normal porque eu vivo no mundo dos livros, respiro literatura desde muito cedo. Mas a realidade portuguesa não é esta, não somos um país de leitores.

  

  No entanto, não sinto que esteja a um nível paralelo à quantidade de livros lidos e tenho um enorme trabalho pela frente a nível léxico. Estudar ajuda-me a estabelecer contato com pessoas mais experientes que definitivamente têm muito para me ensinar. Por isso adoro ir à escola e dedicar o meu tempo ao estudo.

 

Tem sido um ano de aprendizagem e evolução. A literatura continua a ser a maior responsável.

 

MÁS NOTICIAS, NOVAS POSSIBILIDADES

 

Foi com alguma tristeza que recebi o telefonema de hoje. O curso onde estava inscrita não será aberto por falta de inscrições. Têm disponíveis outros dois cursos com vagas. Ainda estou a decidir o que vou fazer. Preciso de escolher um deles, apesar de já ter a resposta por exclusão de partes. Fiquei de ligar amanhã para o professor. Apanhada de surpresa, mas confiante que nada é por acaso. Acredito na energia dos acasos, nas curvas da vida, nas reviravoltas surpreendentes. Algo especial está guardado para mim. E não sou menina de desistir facilmente, muito menos à primeira. 

NOVOS VENTOS DE CONFIANÇA

 

Estive a gravar o primeiro vídeo sobre a nova fase que se avizinha. Sou a primeira a defender que o canal deve ser o espelho da nossa personalidade e precisa estar de acordo com os nossos gostos. Assim como o nosso blog/site. Concordam? Seguramente que os meus vídeos preferidos são sobre livros (novidades?), organização, minimalismo, culinária e decoração. Temas mais próximos de quem grava e vê. Adoro ver vlogs diários, com dicas e vidas reais.

 

Hoje recebi o resumo das visualizações dos meus vídeos. No resumo consigo perceber quais são os vídeos mais apreciados a longo prazo pelos seguidores do meu canal/blog. Sem dúvida que os subscritores procuram conteúdo diferente e conversas intimistas. Eu mesmo adoro ver vídeos desse género. Alguns vídeos continuam a ser os mais vistos apesar de terem sido gravados há um ano, dois meses ou na semana passada. Alguns vídeos perduram devidos aos temas. Acho isso maravilhoso. 

 

Este post é só para vos dizer que estou mega entusiasmada com os vídeos novos que pretendo preparar. Tive algumas dúvidas, mas acabei por conversar com outras pessoas que super apoiaram esta ideia. No inicio vão estranhar, afinal sempre foquei muito nos livros (excepto no VEDA), mas se o conteúdo for feito de forma genuína também aproxima. Os vídeos sobre leituras vão deixar de ser tão frequentes porque o meu foco vai mudar bastante. Mas claro, já estou a pensar em várias alternativas para não deixar o meu cantinho parado. Setembro traz novidades, novos ventos e um recomeço necessário. Estás a sentir?

 

O objectivo dos vídeos? Incentivar quem quer estudar mas deixa para o ano seguinte; partilhar a minha experiência como mãe, trabalhadora e estudante; mostrar a renovação do meu espaço de estudo e lazer (adoro!!!). São motivos suficientes? Espero que sim!

 

Estou de facto empolgada, só espero continuar assim e não desistir apesar dos obstáculos. É para começar e terminar, fica aqui registado. Confiança. Alegria e perseverança. 

DE BICICLETA

 

 

 

 

 

Quando o curso começar preciso de arranjar forma de chegar a horas. Antes das 19 horas. O meu carro só fica disponível depois, portanto ou vou a pé ou de bicicleta. Bicicleta parece-me muito bem. Um meio de transporte muito amigo do ambiente. No inverno as coisas mudam de figura, mas depois penso sobre isso. Preciso de fazer a experiência e ver quanto tempo demoro de bicicleta à escola. Afinal o curso é mais perto do que imaginava. No entanto há subidas e caminhos estreitos. Acho a ideia de ir de bicicleta para a escola super a minha onda. No entanto, a bicicleta que eu tenho é feia que dói, mas não interessa nada. Podia pintar, não era? Ando a ver preços, e não achei muito caro, mas para já está fora de questão. Podíamos transformar o nosso país num país lindo de bicicletas. Não era o máximo? Eu cá acho. De cestinho e flores.