Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

queremlaver

contactoclaudiaoliveira@gmail.com

contactoclaudiaoliveira@gmail.com

O QUE PRETENDO MANTER EM 2018

 

 

 

Antes de falar em mudanças quero refletir sobre o que aconteceu em 2017 e encontrar lições preciosas para levar comigo na bagagem da vida para 2018.  Como já tinha denunciado, este ano foi uma aula inteira . Ano absolutamente preenchido e um no stop nos objetivos. Aprendi em vários sectores da minha vida pessoal e profissional várias lições que me fizeram crescer. Também os erros estiveram presentes, mas isso fica para um posterior texto sobre o que preciso de mudar. Vamos fazer a lista do bem?

 

POUPANÇA

Poupança foi a grande palavra de 2017. Defini isso logo no inicio e correu lindamente. Grandes melhorias neste campo contribuíram para diminuir os valores de stress. Foram tempos de muita pesquisa e aprendizagem. Deu-me mais espaço para uma vida minimalista e sem a confusão da tralha. O meu calcanhar de Aquiles eram os livros. Acabei por superar esse problema, hoje sou mais feliz a comprar livros só depois de várias leituras concluídas. Pondero mais a lista, as leituras. Equilibro bem entre as parcerias e a minha vida pessoal. No próximo ano pretendo criar vários mealheiros distintos com objetivos concretos e valores definidos. Criei uma lista de desejos, o plano está a ficar mais detalhado e definido. 

 

PERDÃO

Perdoar os outros deu-me espaço mental para eliminar certos pensamentos. Não remoer como antigamente contribuiu muito para encontrar outras pessoas e viver em paz. Perdoar e não alimentar o rancor foi necessário para ultrapassar várias situações. Consegui conversar em harmonia e com educação com pessoas que me magoaram sem nenhum problema. Ultrapassei as situações mais rápido em vez de escrever vezes sem conta sobre o assunto, ou mandar indiretas desnecessárias. O ambiente limpo atrai boas energias. Este blog ajudou-me a deitar para fora o mau e focar-me só no que é bom.

 

AFASTAR

A arte de cortar pela raiz permitiu-me afastar definitivamente as pessoas que contribuíam para senti-me mal, desanimada, desconfiada. Consegui afastar pessoas sem lamentos. Consegui dizer não nos momentos certos. A vida tem outras mil pessoas e que isto são só encontros breves. Não precisamos estar perto de pessoas que nos fazem sentir mal seja com atitudes ou palavras rudes.  A vida não prodigue com energias más.

 

 

ESTUDAR

Em setembro comecei a estudar. Foi a melhor decisão de todas. Estudar abriu-me os horizontes, trouxe-me pessoas especiais. Sinto-me feliz no curso. Estagnar não faz parte dos meus planos para estar bem comigo mesma. Quando existe muita força de vontade os obstáculos desaparecem. Seja em que situação for. O primeiro período está quase a terminar e ainda sinto a mesma motivação de sempre. Quero continuar a estudar, e talvez aprofundar os conhecimentos em determinadas áreas.

 

VIAJAR

Experimentei viajar pela primeira vez este ano. Fui até Paris. E claro, faço questão de continuar a viajar no próximo ano. Ainda estou a escolher a próxima cidade. Tantos são os destinos maravilhosos disponíveis. Viajar é vida. Portanto, força na poupança.

 

ORGANIZAÇÃO

Desde que comecei a usar o meu Bullet Journal os meus dias são mais organizados. Vou continuar com o meu caderno Leuchtturm 1917 . É indispensável na minha vida. 

 

LEITURA

Os hábitos de leitura são para a vida toda. Este ano aprendi a ler de outra forma, com outro olhar. Pretendo manter a minha paixão através das partilhas, encontros literários e não só. Não vou esperar pela idade da reforma para ler seja o que for. Este ano foi mais calmo, mas li mais. Engraçado, não é?  Não participei em maratonas literárias, li ao meu ritmo. Não tenho paciência para certos desafios. Vou manter esta postura no próximo ano. Vou manter o Clube dos Clássicos Vivos, o projeto Ler os Nossos e estou satisfeita. Quanto aos formatos do canal e blog pretendo manter tudo o que comecei em setembro.

 

ESCRITA

Manter os blogues e dedicar-me a um projeto muito pessoal dedicado à escrita. A escrita está presente na minha vida desde que me lembro mas foi em 2017 que adquiri a coragem. Este blog deu-me mais força para dedicar-me mais à escrita. Sobretudo pelo feedback dos leitores. Obrigada. 

 

ACREDITAR

Quero continuar a acreditar nos meus principios, valores e objetivos. Quero continuar com este espírito positivo e determinado. Quero levar para 2018 esta força, estas aprendizagens e superar-me. Quero ter a certeza que nos dias em que não faço rigorosamente nada é porque mereço. Quero trabalhar mais, ser mais e construir algo muito bom. Quero acreditar que consigo e caminhar nesse sentido. 

 

 

E por aí? O que vão manter em 2018? 

 

 

 

A ESCOLA NÃO É UMA VILÃ

 

  A literatura mudou muito a minha postura, forma de comunicar e conhecimento. Noto sobretudo na escola, durante as aulas. Por exemplo, estivemos a falar sobre a Segunda Guerra Mundial. Um assunto que me interessa e emociona. A professora passou um pequeno vídeo sobre o tema na sala de aula. Acabamos a debater o assunto e levantar questões. Senti-me perfeitamente confortável para dar a minha opinião, sugerir livros e ainda transmitir alguns factos que a maioria desconhecia.

 

  Sempre tive dificuldades em falar em voz alta perante uma plateia, por detrás da câmara sinto-me como peixe em água. Quando apresento os trabalhos para a turma ainda sinto alguma dificuldade em não ficar com o rosto corado. Nas apresentações, quando preciso de falar sobre o meu percurso escolar e pessoal, não sinto o mesmo. Falo com todos os meus colegas e professores, noto que tenho imensa facilidade em fazer novas amizades ao contrário dos anos anteriores. Nos eventos ligados à literatura/editoras também sinto algum à vontade. Mas ainda preciso de melhorar. Sempre fui tímida e coro com imensa facilidade. Não dá jeito em algumas situações particulares. Para além disso fico mais nervosa sempre que acontece.

 

  A literatura ajudou-me imenso a combater esta timidez. Deu-me confiança suficiente para dar a minha opinião em determinados assuntos. Abriu portas a nível da comunicação e acrescentou informação. As experiências e informações em determinados romances ou livros de não-fição complementam as noticias ou qualquer facto da História Mundial conhecido na sala de aula.

 

  Fiquei surpreendida com o desconhecimento geral em relação a Anne Frank ou Primo Levi. No entanto, reflito e concluo que é perfeitamente normal porque eu vivo no mundo dos livros, respiro literatura desde muito cedo. Mas a realidade portuguesa não é esta, não somos um país de leitores.

  

  No entanto, não sinto que esteja a um nível paralelo à quantidade de livros lidos e tenho um enorme trabalho pela frente a nível léxico. Estudar ajuda-me a estabelecer contato com pessoas mais experientes que definitivamente têm muito para me ensinar. Por isso adoro ir à escola e dedicar o meu tempo ao estudo.

 

Tem sido um ano de aprendizagem e evolução. A literatura continua a ser a maior responsável.

 

VONTADE É TUDO

 

Ao contrário do que se passa em outros momentos, no curso tenho estabelecido várias relações. E sinto que vou fazer amizades, companheiros para as horas de estudo e trabalhos de grupo. Sinto-me como peixe na água. Com muita liberdade, com a criatividade no máximo, com os sentidos apurados. Não há lugar para tristezas, nem para dias cinzentos apesar da chuva. Estou tão feliz naquela turma, tão motivada. Tão cheia de energia. Os professores brincam com a minha energia e os meus colegas já conhecem o meu ritmo acelerado. Mesmo sentada, das sete à meia noite, sinto-me sempre em movimento. Com conversas que me interessam, com pessoas maduras e cheias de vida. Afinal sou mais sociável do que acreditava ser. E gostam de mim. O grupo aproxima-se, os colegas novos procuram em mim alguma identificação. Mostram fotografias, revelam pequenas histórias. Encontrei no humor a melhor forma de terminar os meus dias. Mesmo nos dias mais quietos condeno a preguiça. E continuo a acreditar que as pessoas não conseguem porque não querem. Não fazem porque não lhes apetece. Não são mais porque são pouco exigentes. E quando oiço "não tenho tempo" dá-me vontade de tossir a alma. Lamento a arrogância mas eu sou a prova viva que tudo se faz, sem empregada de limpeza, sem ajuda do pai e da mãe e sem riqueza. Sou eu e a minha vontade.

 

Já tive quatro empregos (escritório, empresa de decor e eventos, empregada de limpeza e criadora de conteúdos). Numa altura em que eu não sabia conversar com as minhas finanças andei a esfolar-me forte e feio por 5€ à hora. Corria, trabalhava no duro. Nennhum dia para descansar. Não passava os dias a queixar-me sem fazer nada. Fui à luta. Andava cansada. Exausta.  Até que entendi que o problema era outro, não era falta de dinheiro, era má gestão de dinheiro. Os euros que ganhava a mais não compensavam o esforço. Então organizei-me. E olhei com olhos de ver. Organização e poupança é vida. 

 

A vida deu uma volta de 360º e nunca pensei estar neste nível. E agora, planos para os próximos cinco anos? Vários. Está tudo anotado. Só não partilho convosco porque essas coisas não se devem partilhar. Sei bem o que digo. Adianto só que o curso é uma prioridade, conhecimento é a base. E gente, precisam de renovar o vosso conhecimento, as coisas já não são como eram há cinco/dez anos atrás quando estudavam, faziam testes e não existiam redes sociais. O mercado de trabalho está sempre a mudar. Não faltam workshops, cursos, formas de aprender mais. Queixar sem levantar o rabo da cadeira é a coisa mais fácil. Deixar para o ano seguinte também é super conveniente. Encontrar justificações idem idem aspas aspas. 

 

Vontade é tudo. 

É POSSÍVEL CRIAR CONTEÚDO NOVO?

 

 

 

 

Mudei o espaço de gravação e estou cheia de vontade de gravar vídeos com o fundo daquela forma. Tenho tido várias ideias. Se há coisa que mais gosto nesta vida é criar conteúdo, meter em prática novas ideias. O vídeo de humor "ser booktuber é mais ou menos isto" teve uma receção melhor do que estava à espera. Deu-me imenso gozo gravar e editar este vídeo. E os comentários? Isto vale a pena. 

 

Andei a ler um livro sobre a criação da lâmpada, tem uma discussão interessante sobre as primeira criações. É possível criar algo atualmente? Eu acho que sim! Acredito piamente que os tempos modernos trazem essa possibilidade. É difícil, mas não é impossível. Dá para agarrar em duas tentativas falhadas e transformar em algo inteligente. Ao longo de todos os anos nas redes sociais vi criados vários formatos nos mais diversos nichos (literatura, make up, lifestyle). Há uns anos atrás ninguém fazia resumos de leituras, bookhaul, desafios, maratonas literárias. Foi-se desenvolvendo através da curiosidade alheia. Não vamos ser velhos do restelo, pode ser?

 

Uma vez perguntaram-me porque fazia o formato "de 5 em 5" visto que ninguém faz. As pessoas estranham o que é diferente? Eu acho que sim, mas também gostam. E quando um canal ou blog cai em repetição sem trazer nada de novo eu deixo de ter interesse. Repetir o que os outros dizem numa opinião é igual a zero. Há que ter opinião própria, certo? Fazer o que os outros fazem é fácil, quero ver fazer diferente. 

 

No entanto, considero que existem bons formatos que precisam de continuar porque ainda têm interesse por parte do público. Mesmo não trazendo originalidade. Também acho que alguns formatos perderam o brilho e precisam de renovação. Raras são as TAGs que eu considere interessantes, com conteúdo. Não quero ver sempre os mesmos livros, nem o livro com capa azul da estante. Alguém gosta mesmo disto?

 

É possível criar conteúdo novo. Se formos olhar para o YouTube podemos ver isso. Todos os dias saem ideias novas dentro de ideias antigas. Todos os meses são lançados desafios no Booktube. Alguns chapa cinco, hastag e ler sobre um tema. Outros como maratonas temáticas com desafios originais e criativos. A maratona literária já existe, os desafios são novos. Gosto do incentivo que gira à volta de todos os desafios lançados. Não sei se somos a comunidade mais criativa, mas devíamos ser. O hábito de leitura devia desenvolver criatividade, certo?

 

4 formas de ser criativo

- pega na tua experiência pessoal e personalidade e traz isso para o teu conteúdo. 

- está atenta aos comentários e pedidos dos teus leitores. O interesse dos outros pode desenvolver novos formatos.

- sai da tua zona de conforto. Abrir a mente é o grande passo para encontrar mais conteúdo.

- acredita nas tuas ideias. A confiança é uma grande ferramenta.

 

Serve este post para abrir uma discussão com os seguidores deste blog. Procuram criatividade nos blogues ou canais que seguem ou isso não interessa nada? Acham possível criar conteúdos novos ou já está tudo criado?

REFLEXÕES DE SEXTA FEIRA | POUPANÇA, REDES SOCIAIS E FUTURO

 

Abri a minha primeira Poupança Aforro no meu banco. Casa roubada, trancas à porta. Já tinha avisado que estava a traçar um plano para poupar todos os euros possíveis. O valor mínimo a depositar é 25€ com reforço a trinta dias. E ainda tenho a vantagem de receber juros a cada semestre. Já tinha aberto uma conta poupança mas acabei por precisar do dinheiro e gastar. Nesta poupança não posso mexer no dinheiro pelo prazo de 180€ (e posso renovar por um período igual). É óptimo e vai de encontro aos meus objectivos. Também andei a ver a Poupança Estrela, recebo os juros conforme o valor depositado. Vou ponderar no futuro. 

 

Quero ir para a universidade e preciso de poupar antes. Para além disso tenho outros objectivos. Grandiosos, passagem seja dita. Estou cada vez mais preocupada com o meu futuro e da minha família. Quero construir uma base reforçada para os nossos sonhos e necessidades. Tenho pena de não ter feito isto mais a sério quando comecei a trabalhar aos 15 anos. Tenho pena de ter gasto rios de dinheiro em roupa e sapatos. Tenho mesmo pena de ter sido tão consumista. Culpa da minha estupidez, uma necessidade parva de afirmar-me e ter o que os outros tinham. Trabalhar para o meu próprio dinheiro e não ouvir "não posso comprar isto" deu-me uma confiança extrema e uma profunda ignorância na gestão do meu dinheiro. Nem espaço para mais sapatos eu tinha.

 

Também me faltou bases e alguém ponderado perto de mim. A voz da razão, estão a ver? Foi com a maturidade e a necessidade de ter a minha casa e a minha família que comecei a mudar. Bem dita mudança. E foi um longo processo. Se vocês vissem as caixas gigantes que levaram da casa da minha mãe para a casa nova não iam acreditar. Hoje sinto vergonha só de pensar nessa altura. Sentia-me feliz por ter muito e queria mais.  

 

Isto de ter uma família foi uma grande novidade para mim. Comecei a dar valor aos valores, a tudo o que não é material. Nem mesmo as redes sociais me tiraram do caminho. Sim, as redes sociais influenciam o mundo e está relacionado. Hoje é frequente ir a lugares, comer ou comprar coisas só para mostrar em fotografias nas redes sociais. Já ouvi uma blogger dizer que deu por si a ir passear ao fim de semana só para tirar "aquela" foto. É mais frequente do que podem imaginar. E algumas bloggers de moda (ou instawomans de trapos) pensam que precisam de peças novas todos os dias para receber likes. Tudo se faz em troca de likes e comentários. Força dos tempos modernos. Aliás, eu cheguei a comprar muitos livros para fazer book hauls em video. Eu disse que foi um longo caminho. E foi. Comecei a ouvir a minha voz da razão. Como é importante...

 

Gosto muito das redes sociais. E adoro tirar fotos e ver fotos bonitas. Também gosto de ver e tirar inspirações das vestimentas mas não é de todo o meu foco. Nem comprar livros só para tirar uma foto bonita. Nem faço mais book hauls ou compro livros para esse objectivo. Precisamos de apreciar pelo simples acto de apreciar. Isto tudo só para dizer que mais do que ontem estou cheia de confiança no meu futuro e gosto daquilo em que me tornei (e estou a tornar diariamente). Não sinto vergonha do meu agora. E tu?

 

reflexões necessárias

Quem sou de verdade? 

O que quero para mim?

Tenho perto de mim quem me faz bem?

Quais são os meus valores e princípios? Ajo de acordo com eles?

Estou a fazer o caminho que quero fazer?

 

 

 

EXTRAS A UMA SEXTA FEIRA

 

 

 

 

Recebi mensagens tão simpáticas no vídeo de ontem, aqui e no instastories, acordei de sorriso no rosto. Esperava receber boa energia, mas superou todas as minhas expectativas. Fico muito contente. Estudar é realmente uma escolha e vai alterar a rotina da minha família. Ansiosa e apreensiva com as mudanças espero de facto conseguir triunfar e alcançar os meus objectivos. Acredito que vou conseguir apesar de alguns pensamentos normais nesta altura. Mas antes vou de férias. Aquela fase da vida em que os pais não descansam assim tanto e acabam por pedir férias das férias.

 

 A m-M recomendou este cantinho na sua lista de blogues a seguir (obrigada!). Acabei por descobrir novos cantinhos inspiradores para ler. Foi realmente serviço público. 

 

Há cerca de duas semanas emprestei um livro a uma colega que não lia nada há bastante tempo. Hoje disse-me que está a gostar imenso da história. "O Castelo de Vidro", um livro que super recomendo, para além disso está quase a sair o filme. Se querem um livro que vos prenda este é o livro certo. Vale a pena dar uma oportunidade. 

 

Na reunião desta manhã fomos informados do sucesso e dos objectivos alcançados. É bom pertencer a um grupo de sucesso, sobretudo porque andei com algumas dúvidas em relação ao meu desempenho. Desta forma, senti-me mais segura e motivada. Todos erramos, vejo isso todos os dias e deixei de sentir os meus erros como falhas irreparáveis e únicas. Até os melhores, os mais perfeitos. Posso fazer melhor, tudo farei para conseguir tornar mais organizado e positivo o meu trabalho. Sem deixar-me afectar por atitudes de arrogância. Seja um revirar os olhos no momento de uma pergunta inocente ou um erro. A minha humildade não diminui, nem o meu tom de voz sobe. As más atitudes ficam para quem as pratica. Foi esta a frase que repeti durante meia hora para afastar as más energias. E repito sempre que necessário. Eu sabia que vinham boas novas. Cá estão.

 

Ontem no final do dia recebi uma mensagem de alguém a lamentar certas atitudes de terceiros. Aconselhei a pessoa a focar-se nela. Tem tudo a ver com isso. Quando estamos mais preocupados com quem amamos ou com aquilo que fazemos nunca reparamos no que é secundário. Não vamos desperdiçar energia com aquilo que nos faz mal, não é verdade? Afastem os pensamentos, não batem na mesma tecla, façam algo que gostem ou esperem pelo dia seguinte com calma. Claro que por vez sou atingida por atitudes dos outros (vivemos em sociedade), mas logo liberto-me dessa preocupação. Pergunto-me, o que me preocupa realmente? Isto, isto e isto. Ok, certo. Não vou preocupar-me mais, amanhã penso nisso. Funciona, prometo. 

 

Começar o fim de semana da melhor forma. 

MOMENTOS SÓ MEUS

 

 

Assistir todas as segundas feira a Guerra dos Tronos e meter a cabeça a funcionar com diversas teorias. Conversar com dois colegas que igualmente fãs adoram conversar sobre ela. Adoro partilhar este tipo de coisas. Cuidado com o spoiler. Quem vai trair a Dany? Aquelas conversas entre o Davos e a Missandei. Outra vez, hummm, suspeito. Há aqui bicho. O Mindinho está a tratar alguma, ele não ia dar o punhal para o Bran em vão. O Tyrion ainda ama a família. Nota-se muito bem. Será que vai ajudar na fuga do irmão? A cena da batalha foi espectacular. Beca beca...Faltam poucos episódios e eu estou ligeiramente desesperada para o último livro da série e para os próximos episódios.

Passear pelo Pinterest em busca de ideias, criatividade e nada em concreto. Quero guardar todos pacotes de cartão, as tampas, os rolos de papel higiénico na esperança de reutilizar e fazer DIY espectaculares. Gostava de ter talento para enfeitar o Bullet Journal daquela forma. Estou interessada em aposto em Setembro noutro caderno, com folha mais grossa. O meu Bujo é constituído por três cadernos simples colados. Faltam poucas folhas para terminar. Apesar de ter um caderno ainda vazio vou optar por outro. 

Vídeos de AMRS. O que é isto? São vídeos para relaxar e adormecer. O meu canal preferido é o Sweet Carol. Ela faz vários sons com as mãos e objectos que provocam arrepios e massagens no cérebro. Fala de uma forma muito doce. Não funciona com toda a gente, mas comigo é tiro e queda. Relaxa-me imenso. O melhor escutar com phones, o resultado é muito superior. Adoro sobretudo o taping, o barulho das unhas a bater nos objectos. Experimentem e depois contem-me se resultou. 

OATS, de vários sabores. Tudo caseiro, nutritivo e saudável. São alternativas aos cereais, torradas e pão com manteiga. Adoro! 

Goodreads. Não há dia em que não passe por lá. Actualizar as minhas leituras, espreitar as leituras dos outros assim como as avaliações. Colocar mais um livro na lista. Discutir no Clube dos Clássicos Vivos. Livros, todos os dias livros. Nos sites online para descobrir os lançamentos e promoções. Blogues sobre livros. Vídeos sobre os preferidos, as últimas leituras. 

Água, muito água durante todo o dia. Hidratação máxima.  

 

Somos feitos de hábitos e vícios. Buscamos conforto em diversos momentos do dia. Um dia é feito (pelo menos devia) de momentos inspiradores, saborosos e estimulantes.