Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

queremlaver

contactoclaudiaoliveira@gmail.com

contactoclaudiaoliveira@gmail.com

PARA NOVEMBRO

 

 

Então, Novembro será um mês árduo. Muito trabalho pela frente a nível profissional e pessoal. Chegam ao fim alguns módulos do curso e preciso de entregar alguns trabalhos. Perdi alguns dias, atrasei-me, mas vou recuperar de certeza. Talvez um sábado a trabalhar na biblioteca seja suficiente. Os meus planos para Novembro são:

 

- Concretizar os primeiros módulos do curso de informática

- Realizar leituras para os projetos “n-estórias” e “ler os nossos”

- Poupar o máximo possível

- Concretizar o desafio 21 dias sem açúcar com sucesso

- Marcar um check up de saúde e dentista

- Fazer iogurtes em casa, bolo de banana e castanhas assadas

 

OUTUBRO | O MÊS MAIS DIFÍCIL

 

Tanto para dizer

 

Foi um mês intenso. A minha mãe disse que esta altura é muito complicada por ser o “cair da folha”. Presumo que nunca mais me vou esquecer porque faleceu recentemente uma pessoa muito querida, com quem vivi durante vários anos. Estava doente e não aguentou. Um adeus dói sempre. Para quem me segue há uns bons anos nos blogues deve lembrar-se do “pai do Zé”.

 

Nestes momentos vemos quem está do nosso lado e quem pretende ficar de fora. Não me vou esquecer dos abraços nem de quem nos deu consolo num dos piores dias da nossa vida. Nem das mensagens apesar do silêncio nos restantes dias. Estou muito grata.

 

A nível profissional recebi uma mega proposta com vários benefícios para o caminho que pretendo seguir. Estou confiante e muito entusiasmada. Ainda estou a tratar de tudo mas quero dedicar-me muito e acredito que seja possível tirar partido no futuro. Recebi a proposta no dia em que recebi a noticia mais triste deste ano. Foi complicado gerir e equilibrar as emoções, mas consegui. Psicologicamente estou esgotada.

 

Fiz o desafio Outubro Ousado mas não correu com nenhuma ousadia. Ajudou-me bastante na questão da diversidade e na utilização de peças paradas. Também fiz o desafio Zero Fora de Casa e correu lindamente, consegui juntar o dinheiro que queria e acabar com mais uma dívida. O desafio 7 Receitas Veganas não correu bem, acabei por cozinhar e não partilhei as fotos. Muitos legumes, quinoa, saladas, feijão e arroz.

 

O curso está a caminhar com passos curtos. Em novembro vou precisar de trabalhar bastante porque tenho vários trabalhos para entregar. Tive de faltar durante alguns dias e ficou alguns trabalhos em atraso assim como exercícios. Estou sem acesso à internet durante o horário laboral (sem email ou acesso à conta bancária) ao contrário de todos os meus colegas. Mais uma situação para me incomodar com o qual vou aprender a conviver.

 

A nível de poupanças correu lindamente. Como informei acima consegui terminar mais uma dívida. Estou à espera de receber o reembolso do seguro de saúde para colocar tudo na conta poupança. Não fiz gastos desnecessários. ´

 

Estive em Vilamoura. Fui à praia com minha família. Tinha saudades do Algarve, daquele mar e dos lugares bonitos. Estava muito sossegado. Conheci bons restaurantes este mês também.  Li menos este mês, mas fiz leituras incríveis. Vi pouca televisão, segui apenas a série This is Us e fui ao cinema ver A Coisa.

 

Vou terminar o mês com o coração pequenino. Com esperança de trabalhar muito no próximo mês e concretizar os meus planos. Foi o mês com mais obstáculos e mais surpreendente.

21 DIAS SEM AÇÚCAR

21 DIAS.jpg

 


Vamos começar no dia 1 de Novembro o desafio 21 dias sem açúcar. Um detox antes das grandes festas do final do ano. Quem está connosco? Já somos um grupo jeitoso e temos um chat para trocarmos receitas, dicas e sintomas. Estava mesmo a precisar deste desafio. Ando a abusar dos doces há demasiado tempo.

Algumas dúvidas não deixem de perguntar. Bom desafio para todos.

 

Não podemos comer:

- produtos processados (cereais, papas, iogurtes, bolos, nutella, doces variados)

- chocolates (só o chocolate negro)

 

 

Dicas

- imprime um calendário e faz uma cruz sempre que passares um dia sem açúcar. Mantem o calendário por perto

- regista os sintomas (vais verificar que a vontade de comer doces desaparece conforme avança o desafio)

- pesa-te antes do desafio para veres a diferença no final

- prepara ementas substitutas às refeições que costumas fazer. Por exemplo: costumas comer cereais ao pequeno-almoço, elaboro várias opções e se for mais prático regista tudo num caderno

- faz alguns produtos em casa (iogurtes, panquecas, bolos…)

- mantém o foco. Assume que este desafio só traz benefícios

PERDOEI A VIDA

 

Vai ser um bocadinho estranho partilhar isto. Não vos posso contar a história toda, mas vai ser suficiente para transmitir aquilo que pretendo. Acredito que existem peças fundamentais para o crescimento pessoal. Cada um com as suas. 

 

O meu pai morreu quando eu tinha oito anos. Isso afectou totalmente a minha infância e o meu crescimento emocional. Na altura, os meus irmãos tinham seis anos e seis meses. A minha mãe ficou sozinha com três crianças e as coisas não foram fáceis. Quando digo que afectou o meu crescimento emocional quero dizer que tudo o que eu fiz depois dessa data foi marcado por esse acontecimento. Eu vivia com a sensação de perda todos os dias. Um vazio gigante, uma aura de solidão imensa e uma estranha forma de me relacionar com todos.

 

Adiante, era uma miúda feliz com um peso no coração. Entendem? Sempre que algo de negativo acontecia na minha vida eu ligava ao facto do meu pai ter morrido. Tudo era culpa da morte dele de forma prematura. Imaginem, um rompimento de namoro na adolescência era um buraco negro para mim. Eu não sofria por causa do fim do namoro, eu ia buscar o dia da morte dele para sofrer o fim do namoro. Confuso, não é? Acabei por desenvolver um medo desenfreado por perder as pessoas. Isso dava cabo da minha segurança. E eu precisava muito de segurança. Ainda hoje busco segurança em todos os meus passos. Mas já estou a entrar por caminhos estreitos. Vamos ao que eu quero dizer. 

 

Ao longo de muitos anos sofri horrores com a ausência do meu pai. Repetia lembranças vezes sem conta até cansar. Sempre os mesmos episódios. Tenho memorizados oito episódios com ele. Oito. O peso desapareceu há cerca de sete anos. Nessa altura deixei aos poucos de repetir as lembranças com medo de me esquecer do seu rosto. Deixei de escrever sobre ele exaustivamente. Deixei de chorar ao som de uma música ou duas que associo sempre a nós. E fiquei leve. A dor passou a saudade bonita. Sem peso. Há um grande motivo para esta mudança, daria outro texto. 

 

Ao longo destes anos nunca quis saber quando é que ele tinha falecido nem a data do seu aniversário. Para não ter mais datas tristes para além do dia do pai. Sendo que o dia do pai agora é o dia do super pai desta casa. Se calhar a minha mãe já me tinha dito mas eu nunca memorizei. Defesas. Não sei. 

 

Hoje comentei com o meu melhor amigo que não sabia essas duas datas e tinha muita vontade de saber. Aliás tenho vontade de saber mais sobre ele. Estávamos a falar da série This is Us e calhou em conversa. Ele disse-me para perguntar à minha tia, irmã dele. Por concidência ou não a minha prima veio falar comigo no chat. Raramente falamos. E assim que a ajudei no que precisava perguntei as datas. Foi muito importante para mim este passo. Ter datas. Ter coragem de perguntar. Não é propriamente as datas, é a minha atitude. E ainda fiz várias perguntas sobre ele. 

 

Parece que finalmente tirei os lençóis dos fantasmas. Nunca pensei conseguir falar no meu pai com alguém da minha família. Nunca pensei que a saudade durasse uma vida. Nunca pensei pedir uma foto dele comigo ao colo. Não tenho uma única foto dele. Nunca pensei perdoar a vida pelo o que me aconteceu quando tinha oito anos. 

 

Grata. Muito grata. 

LISTA DOS TEUS PRÓXIMOS DESAFIOS

 

Para quem gosta de um bom desafio anda sempre à procura de ideias desafiantes. Eu sou dessas. Como podem ver neste blog existem sempre desafios ao longo dos anos. Aliás, neste momento estou a realizar o desafio 7 dias – 7 receitas veganas. Não está a correr como eu queria. Preciso de repetir num futuro próximo.

 

Decidi escrever este post de forma a juntar várias ideias para inspirar alguém. 2018 está a chegar, nessa altura adoramos escrever a lista de objetivos, verdade? Preparei várias sugestões de desafios e separei-os por categorias.

 

Este post ganha um destaque especial neste blog na coluna superior para consulta. Estará em constante crescimento sempre que ocorrerem ideias de novos desafios.

 

Pronto para escolher um desafio? Vamos! 

 

Financeiros

-Desafio 52 semanas 

Zero Fora de Casa (não gastar dinheiro fora de casa em comida e futilidades durante um determinado período de tempo)

- 5+1 (Só comprar um livro após cinco lidos)

- Deixar Acabar (só comprar novos produtos depois de deixar acabar um produto, exemplo: champô, creme para as mãos, etc…)

Um ano sem comprar roupa ( já fiz e pretendo repetir depois dos saldos da próxima temporada)

- Marmitas Power (levar marmita para o emprego/escola)

Armário capsula

- Renovar móveis

 - Um ano sem usar cartão de crédito

 

Saúde e Bem Estar

- 21 dias sem açúcar

- Trocar produtos tóxicos por produtos orgânicos

- Não faltar ao ginásio um ano

- Sem lixo/sem

- Correr todos os fins de semana durante uma hora

- Deixar de fumar

- Participar na São Silvestre

7 dias 7 refeições veganas

 

 

Pessoais

- Organização com agenda

- Menos consumista

- Ser mais calma

One day stop net

- Sair da zona de conforto

- Diminuir o café

- 30 dias de YOGA em casa

- Fazer cartão da biblioteca

- Terminar todas as séries televisivas deixadas a meio

- Aprender lettering

 - Não repetir looks do dia

 

Cultura

- Ler um livro por mês

- Fazer uma viagem

- Estudar uma língua

- Aprender a tocar um instrumento

- Aprender uma dança

- Visitar um museu por mês

- 12 restaurantes 12 meses (um restaurante novo por mês)

Participar num clube literário

- Ler só mulheres durante um ano

- Mais teatro

Projeto Rory Gilmore

 

Grupo no Facebook | poupança 2017

contactoclaudiaoliveira@gmail.com

queremlaver.blogs.sapo.pt

@queremlaver

- Projeto Inacabados

'NÃO TEMOS OBRIGAÇÃO'

Uma das decisões desta vida foi deixar de pintar o cabelo, diminuir os produtos tóxicos utilizados lá em casa (champô, desodorizantes, cremes, tinta, make up) e escolher os melhores amigos do ambiente. Como já vos tinha contado o meu condicionador é vinagre de cidra, ontem tive mais uma prova que o meu cabelo está saudável. Fui à cabeleireira cortar as pontas e ouvi rasgados elogios ao meu cabelo. “Está tão forte!”. Nunca mais tive irritação, nem oleosidade, nada. Não estou a utilizar produtos prejudiciais ao ambiente. Eu e o ambiente somos cada vez mais amigos. A amizade tem a força de retribuir sem a obrigação de nada.

 

Hoje fizemos uma recolha de vários bens para algumas vitimas dos incêndios de Oliveira do Hospital. Dei várias toalhas, roupa de cama, sapatos de criança e outros artigos. Se todos dermos um bocadinho estamos a contribuir para a felicidade de alguém. Alguém sem nada. Cada pedaço fará diferença na sua vida.

 

No outro dia, quando saía da escola, o rádio encontrou uma música clássica maravilhosa. Eu nunca oiço música clássica, mas depois do livro do James Rhodes é inevitável não estar atenta. Imaginem o cenário: chuva, lua, algumas estrelas, ruas vazias e música clássica. Foi uma cena perfeita onde tive a sorte de assistir na primeira fila. Quando fui levar os miúdos ao carro esta manhã mostrei-lhes o céu cor de rosa. Parei uns segundos para contemplar a natureza. Mostrei-lhes o gato que estava em cima do telhado a dar os bons dias com o miado. Precisamos de incutir o respeito pelo melhor desta vida. Pela vida. Alguém tem de parar o ciclo vicioso. Temos muito mais do que imaginamos ter.

 

De que vale andar nesta vida sem contribuir para o bem na vida dos outros e no mundo? Sem o falso costume de acreditar que “não faço porque não sou obrigado”. E quando oiço que “ não temos obrigação” perante terceiros fico confusa e reflito sobre os valores de quem pensa assim.

 

Somos feitos de ações, pensamentos e sonhos. É isso que nos distingue.

GRATIDÃO

 

 

Depois de um dia em que te impedem mais um bocadinho de seres tu, tirar um peso das costas ao chegar a casa faz todo o sentido. Aqui tudo faz sentido. Os meus e os seus abraços, o peso que não existe mesmo quando pesa e ainda tenho a sorte de receber palavras. Como eu amo palavras torneadas de carinho e verdade. Quem nos escuta é melhor do que quem nos ouve. Obrigada por me darem mais motivos para sentir a alma leve. 

 

Não existem vilões. Eu continuo a acreditar. Grata.

Pág. 1/4