Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Querem lá Ver

[boas energias] [<3] [poupança]

Querem lá Ver

[boas energias] [<3] [poupança]

REFLEXÕES DE SEXTA FEIRA | POUPANÇA, REDES SOCIAIS E FUTURO

 

Abri a minha primeira Poupança Aforro no meu banco. Casa roubada, trancas à porta. Já tinha avisado que estava a traçar um plano para poupar todos os euros possíveis. O valor mínimo a depositar é 25€ com reforço a trinta dias. E ainda tenho a vantagem de receber juros a cada semestre. Já tinha aberto uma conta poupança mas acabei por precisar do dinheiro e gastar. Nesta poupança não posso mexer no dinheiro pelo prazo de 180€ (e posso renovar por um período igual). É óptimo e vai de encontro aos meus objectivos. Também andei a ver a Poupança Estrela, recebo os juros conforme o valor depositado. Vou ponderar no futuro. 

 

Quero ir para a universidade e preciso de poupar antes. Para além disso tenho outros objectivos. Grandiosos, passagem seja dita. Estou cada vez mais preocupada com o meu futuro e da minha família. Quero construir uma base reforçada para os nossos sonhos e necessidades. Tenho pena de não ter feito isto mais a sério quando comecei a trabalhar aos 15 anos. Tenho pena de ter gasto rios de dinheiro em roupa e sapatos. Tenho mesmo pena de ter sido tão consumista. Culpa da minha estupidez, uma necessidade parva de afirmar-me e ter o que os outros tinham. Trabalhar para o meu próprio dinheiro e não ouvir "não posso comprar isto" deu-me uma confiança extrema e uma profunda ignorância na gestão do meu dinheiro. Nem espaço para mais sapatos eu tinha.

 

Também me faltou bases e alguém ponderado perto de mim. A voz da razão, estão a ver? Foi com a maturidade e a necessidade de ter a minha casa e a minha família que comecei a mudar. Bem dita mudança. E foi um longo processo. Se vocês vissem as caixas gigantes que levaram da casa da minha mãe para a casa nova não iam acreditar. Hoje sinto vergonha só de pensar nessa altura. Sentia-me feliz por ter muito e queria mais.  

 

Isto de ter uma família foi uma grande novidade para mim. Comecei a dar valor aos valores, a tudo o que não é material. Nem mesmo as redes sociais me tiraram do caminho. Sim, as redes sociais influenciam o mundo e está relacionado. Hoje é frequente ir a lugares, comer ou comprar coisas só para mostrar em fotografias nas redes sociais. Já ouvi uma blogger dizer que deu por si a ir passear ao fim de semana só para tirar "aquela" foto. É mais frequente do que podem imaginar. E algumas bloggers de moda (ou instawomans de trapos) pensam que precisam de peças novas todos os dias para receber likes. Tudo se faz em troca de likes e comentários. Força dos tempos modernos. Aliás, eu cheguei a comprar muitos livros para fazer book hauls em video. Eu disse que foi um longo caminho. E foi. Comecei a ouvir a minha voz da razão. Como é importante...

 

Gosto muito das redes sociais. E adoro tirar fotos e ver fotos bonitas. Também gosto de ver e tirar inspirações das vestimentas mas não é de todo o meu foco. Nem comprar livros só para tirar uma foto bonita. Nem faço mais book hauls ou compro livros para esse objectivo. Precisamos de apreciar pelo simples acto de apreciar. Isto tudo só para dizer que mais do que ontem estou cheia de confiança no meu futuro e gosto daquilo em que me tornei (e estou a tornar diariamente). Não sinto vergonha do meu agora. E tu?

 

reflexões necessárias

Quem sou de verdade? 

O que quero para mim?

Tenho perto de mim quem me faz bem?

Quais são os meus valores e princípios? Ajo de acordo com eles?

Estou a fazer o caminho que quero fazer?

 

 

 

AJUDARAM-ME

 

Nunca fui tão ajudada por "estranhos". Estranhos, mais ou menos. Conheço os nicks, as pessoas que acompanham os meus cantinhos há algum tempo e outras que mantive contacto por determinado tempo e agora falamos de vez em quando. Pessoas que entraram na minha vida por causa dos blogs ou por causa da paixão pelos livros. Pessoas que simplesmente querem ajudar de alguma forma, sem nenhum interesse. Nem tudo é mau e fico mesmo feliz por ver bondade, sabem? Dá aquele quentinho no coração. E só mostra que esta comunidade é maravilhosa.

 

Confesso que não me senti confortável em expor esta situação mas precisava de tirar o nó na garganta. Precisava de ouvir conselhos, outros pontos de vista. E foram todos maravilhosos. Nem sempre quem está no centro do problema consegue descortinar as saídas. E foi exactamente isso que aconteceu.  O meu marido apoia-me, mas costumo ser eu a solucionar os problemas e ele costuma ser o conforto e o abraço.

 

Não sou pessoa de lamentar ou chorar no molhado. Quando um problema se revela um obstáculo o primeiro passo é perguntar-me: como posso resolver isto? Faço uma espécie de lista com várias opções e depois filtro. Começo logo a tratar de resolver tudo. E enquanto o problema não é ultrapassado não baixo os braços. Faço isso em vários pontos da minha vida. Quando meto algo na cabeça não consigo deixar para amanhã. Ontem foi um dia intenso. Não parei. 

 

Ontem consegui tratar de enviar novamente o IRS com os ditos anexos. E apesar dos problemas com o JAVA, instalações, erros consegui tratar do envio eram cerca das 23 horas. O meu sono só seria reparador se assim fosse. Também estive na casa do meu melhor amigo mas infelizmente não o computador dele não estava a cooperar. Ao longo do dia já tinha tratado de escrever um carta para perdão da dívida. Segundo alguns profissionais na área e partilha de experiências de pessoas que passaram pelo mesmo pode ser uma solução. O "não" está garantido. Fiz o pedido de crédito para ter o plano B no caso do "não". A carta será enviada hoje registada com aviso de recepção. Pretendo arranjar forma de enviar o IRS para uma contabilista que se ofereceu para verificar se está tudo bem preenchido. Já andei a ver forma de tirar o ficheiro mas não está fácil. Consegui dormir muito melhor e sinto-me cheia de energia e menos nervosa, como disse alguém, "fiz o que podia". 

 

Deixo aqui o meu profundo agradecimento a todos os que me ajudaram e deixaram uma palavra de força. Sério, estou muito grata por ver que estou rodeada de pessoas com boas intenções. 

DÚVIDAS FINANCEIRAS

 

Lá fui eu toda nervosa às finanças. Conclusão, tive actividade aberta em 2016 e quando fiz o IRS não entreguei o anexo B. Ignorância. Posto isto, são coimas por falta deste documento. Eu só tive a actividade aberta durante um mês. E não passei nenhum recibo. Ou seja, tenho de pagar a dívida total. 670€ por causa de um documento em falta. Metam os olhos nisto, não façam a mesma borrada. Podia fazer um acordo mas o valor mínimo é de 120€ ou retiram do ordenado uma parcela (um sexto do meu ordenado). Os juros continuam e nunca mais me livro disto. Pondero pedir um crédito ao meu banco para cessar a dívida na totalidade de uma só vez. O que queria mesmo era que me perdoassem a dívida e ficasse tudo resolvido. Não aguento mais. Fui falar com o meu banco e o mínimo de crédito é de 1000€, com uma prestação de 35€ por três anos. O que considero muito tempo. Também já falei com um contabilista, sugeriu que eu fizesse o IRS o mais rápido possível e pagasse a dívida o quanto antes. E tal pedir a devolução dessa dívida, mas não me deu garantias que seria possível. Pedra no sapato. Era aqui que fazia falta uma poupança. E é nisto que preciso focar-me urgentemente. 

ENFRENTAR

 

Estou super ansiosa porque preciso de ir amanhã às Finanças resolver um problema que anda a incomodar-me imenso. Nunca me dei bem com as Finanças. Não gosto das pessoas que me atendem, nunca saio de lá esclarecida e normalmente os meus problemas com as finanças não têm fim. Eu quero terminar com isto este ano. Não dá mais. Não entendo o raio das cartas que me enviam. Andei a adiar, mas não passa de manhã. Preciso de enfrentar, preciso de superar este nervo miudinho e cortar pela raiz este problema que pode virar o maior problema na minha vida financeira. Eu sempre fui muito calma, talvez calma demais e até cheguei a relaxar-me em demasia. Paguei sempre tudo o que aparecia sem tentar encontrar uma justificação para os valores. Não queria mais problemas, achava que eles jamais erram. E o site deles é pouco claro no que diz respeito às dívidas. Mas já chega, alguma coisa não pode estar bem. Não pago mais sem saber o que ando a pagar e quando é que isto tem fim. Portanto, espero ter sorte na pessoa que me vai atender e resolver isto de uma vez por todas. Torçam por mim. 

 

Nada se faz sem um plano e mãos à obra. É preciso enfrentar, encarar de frente e riscar mais um item da eterna lista preguiçosa. E alguns problemas só existem porque facilitamos. Não podemos facilitar quando estamos a falar no nosso dinheiro. Alguns problemas começam do tamanho de uma agulha e convertem-se em grandes problemas. O melhor é não deixar para amanhã o que podemos resolver hoje. A loiça pode ficar por lavar, mas algumas situações não se resolvem com água no dia seguinte. 

PARAR COM AS DÚVIDAS

 

Grata pelas leituras que me emocionam e inspiram a continuar. Em altura de dúvidas acabo por tranquilizar e ficar confiante no meu caminho. Obrigada António do Ó pela partilha  e à Just_Smile pela referência no seu post sobre minimalismo. Acabei por receber novas visitas e comentários.

 

Isto de mudar de estilo de vida tem muito que se diga. É uma transformação enriquecedora que me traz espaço e abertura para superar vários obstáculos. O objectivo continua a ser a partilha, a transformação, apurar a organização e construir um futuro mais estável. O conhecimento será sempre o meu grande companheiro nesta viagem. Sigo com mais certezas. 

RESERVADO E PESSOAL

 

Praia revigora a alma. A energia do mar acalma-me. Apesar de pouco tempo valeu a pena ir até à Costa da Caparica com a família. Pés enterrados na areia, molhados pelo mar. Li algumas páginas de um livro durante a viagem. Não estava aquele calor insuportável. O almoço correu lindamente. Mas quando chegámos ao carro tínhamos a nossa primeira multa de estacionamento. Nem sei quanto vamos pagar. É uma pena. Estavam imensos carros estacionados no passeio e pensámos que não haveria problema. Erro, agora sofremos as consequências e aprendemos a lição. 

 

De tarde fomos comprar uns ténis para o meu filho. Aproveitar os saldos. Também aproveitei e comprei uma mochila nova. Uma espécie de dois em um, uma mala que serve para o dia a dia e serve como mochila para levar para o curso. Depois mostro num próximo vídeo. Foi um presente do marido. Também já comprei o restante material e o meu próximo Bullet Journal (depois mostro no vídeo). Decidi que vou terminar o Bullet Journal pessoal em vez de comprar outro novo e o novo será exclusivamente para o curso. Tudo resolvido. É só experimentar o caminho de bicicleta. 

 

Quanto à remodelação do quarto, consegui arrumar a estante do corredor e pintar mais uma parede. Já tenho os quadros para aquilo que pretendo fazer assim como os desenhos. Estou entusiasmada com o resultado final. Hoje avanço mais um bocado. Não vou mostrar tudo aos que seguem o blog e o canal porque quero reservar algum espaço só para mim. Entendem, não é? A nossa casa é como um esconderijo, um espaço privado. É exclusivamente só para os amigos mais próximos e familiares. 

 

Tenho outras coisas para fazer em casa. Como editar vídeos e arrumar algumas roupas. Preciso de colocar alguns livros à venda e mandar algumas peças para fazer bainhas. Desta semana não passa. Estou em contagem decrescente para as férias. E em Setembro começo do zero o meu objectivo de poupança. Depois de Paris sobrou pouco ou nada. Preciso de traçar um plano para dar cabo de uma dívida ainda este ano. 

 

EXAUSTA, MAS FELIZ

 

 

Consegui finalmente meter mãos à obra e transformar o  meu quarto num espaço mais parecido com o meu gosto. Comprei o material (duas tintas e pincéis) por cerca de 25€. Comecei pelas duas cómodas, depois pela cama. No final transformei o espaço e tornei-o mais harmonioso. Adoro cada parede. Ficou muito mais minimalista e cheio de luz. Acabei por gravar um bocadinho para verem. Se eu consegui, qualquer pessoa consegue. Claro que faltam os últimos pormenores, sobretudo relacionados com o mural da parede em frente da secretária. Também pretendo preencher a parede vazia atrás da cadeira, ao lado da porta. Preciso de algo apropriado e útil. Não paro de ver o pinterest para encontrar ideias nesse sentido. Acabei por ter uma ideia muito barata e fofa. Não quero nada muito brilhante e espampanante, quero algo simples e bonito. Estão a ver a ideia? O sábado foi dedicado ao meu quarto. O domingo à sala. Finalmente o meu marido decidiu tirar o móvel da sala. Oito meses! Era um móvel antigo que nada favorece a minha casa nem a energia dessa. Trazia-me más recordações. Eu gosto de cortar com isso. Foi desta e fiquei tão feliz. Enchi vários sacos cheios de papelada e objectos inúteis. Menos madeira para eu limpar, mais espaço e alegria. Adoro. 

 

Mas nem tudo é um mar de rosas. Tenho algumas caixas para arrumar no corredor e a estante de livros para organizar. Tudo com calma e sem stress. O pior é já passou, restam as dores musculares e esta satisfação pessoal. Com as arrumações acabei por descobrir o material escolar que eu precisava. Só preciso de comprar uma mochila. Euros poupados. Adoro. 

 

Ainda consegui participar na #cineserao e vi três filmes. Deixo uma recomendação necessária, o documentário "Chasing Coral". Um documentário que dá a conhecer aquilo que o homem está a fazer com a vida nos oceanos. É tão triste ver o planeta ser destruído. Vejam! É uma hora e pouco que passa rapidamente.Adoro.

 

Amanhã é feriado! Aproveitem bem. Eu vou aproveitar para ver mais uns filmes, tentar descansar e arrumar mais uma coisas. Talvez vá fazer um piquenique com a família e passe no IKEA. Adoro.

EXTRAS A UMA SEXTA FEIRA

 

 

 

 

Recebi mensagens tão simpáticas no vídeo de ontem, aqui e no instastories, acordei de sorriso no rosto. Esperava receber boa energia, mas superou todas as minhas expectativas. Fico muito contente. Estudar é realmente uma escolha e vai alterar a rotina da minha família. Ansiosa e apreensiva com as mudanças espero de facto conseguir triunfar e alcançar os meus objectivos. Acredito que vou conseguir apesar de alguns pensamentos normais nesta altura. Mas antes vou de férias. Aquela fase da vida em que os pais não descansam assim tanto e acabam por pedir férias das férias.

 

 A m-M recomendou este cantinho na sua lista de blogues a seguir (obrigada!). Acabei por descobrir novos cantinhos inspiradores para ler. Foi realmente serviço público. 

 

Há cerca de duas semanas emprestei um livro a uma colega que não lia nada há bastante tempo. Hoje disse-me que está a gostar imenso da história. "O Castelo de Vidro", um livro que super recomendo, para além disso está quase a sair o filme. Se querem um livro que vos prenda este é o livro certo. Vale a pena dar uma oportunidade. 

 

Na reunião desta manhã fomos informados do sucesso e dos objectivos alcançados. É bom pertencer a um grupo de sucesso, sobretudo porque andei com algumas dúvidas em relação ao meu desempenho. Desta forma, senti-me mais segura e motivada. Todos erramos, vejo isso todos os dias e deixei de sentir os meus erros como falhas irreparáveis e únicas. Até os melhores, os mais perfeitos. Posso fazer melhor, tudo farei para conseguir tornar mais organizado e positivo o meu trabalho. Sem deixar-me afectar por atitudes de arrogância. Seja um revirar os olhos no momento de uma pergunta inocente ou um erro. A minha humildade não diminui, nem o meu tom de voz sobe. As más atitudes ficam para quem as pratica. Foi esta a frase que repeti durante meia hora para afastar as más energias. E repito sempre que necessário. Eu sabia que vinham boas novas. Cá estão.

 

Ontem no final do dia recebi uma mensagem de alguém a lamentar certas atitudes de terceiros. Aconselhei a pessoa a focar-se nela. Tem tudo a ver com isso. Quando estamos mais preocupados com quem amamos ou com aquilo que fazemos nunca reparamos no que é secundário. Não vamos desperdiçar energia com aquilo que nos faz mal, não é verdade? Afastem os pensamentos, não batem na mesma tecla, façam algo que gostem ou esperem pelo dia seguinte com calma. Claro que por vez sou atingida por atitudes dos outros (vivemos em sociedade), mas logo liberto-me dessa preocupação. Pergunto-me, o que me preocupa realmente? Isto, isto e isto. Ok, certo. Não vou preocupar-me mais, amanhã penso nisso. Funciona, prometo. 

 

Começar o fim de semana da melhor forma. 

MÁS NOTICIAS, NOVAS POSSIBILIDADES

 

Foi com alguma tristeza que recebi o telefonema de hoje. O curso onde estava inscrita não será aberto por falta de inscrições. Têm disponíveis outros dois cursos com vagas. Ainda estou a decidir o que vou fazer. Preciso de escolher um deles, apesar de já ter a resposta por exclusão de partes. Fiquei de ligar amanhã para o professor. Apanhada de surpresa, mas confiante que nada é por acaso. Acredito na energia dos acasos, nas curvas da vida, nas reviravoltas surpreendentes. Algo especial está guardado para mim. E não sou menina de desistir facilmente, muito menos à primeira.